Por Fernanda de Maman

Um jovem de 21 anos foi condenado pelo latrocínio que teve como vítima um policial aposentado da Brigada Militar do Rio Grande do Sul, em Criciúma, em março deste ano. O crime aconteceu em um posto de gasolina, no bairro Santa Augusta, quando o réu e outro jovem, armados, foram até o local para roubar o estabelecimento. Porém, depararam com o policial, que trabalhava de vigia e reagiu ao assalto. Ele acabou alvejado pelos acusados.

O rapaz e seu comparsa, além de se apoderarem da arma da vítima, ainda fugiram com um carro roubado de um cliente do posto que estava no local. A dupla, contudo, perdeu o controle do veículo e capotou no Morro da Cruz, no limite com Nova Veneza. O jovem fugiu para uma área de mata e, depois de um cerco de sete horas, se entregou à polícia. Já o outro homem foi preso em flagrante, mas em razão das lesões do acidente morreu no dia seguinte ao crime.

O policial aposentado não resistiu aos graves ferimentos e faleceu oito dias depois de pneumonia decorrente de pneumonite por aspiração de sangue, secundária a fratura de mandíbula oriunda de perfuração por projétil de arma de fogo. O réu foi condenado por latrocínio e roubo majorado pelo emprego de arma de fogo e concurso de pessoas, a 25 anos e seis meses de reclusão, em regime fechado, além do pagamento de 20 dias-multa. Da decisão cabe recurso ao TJSC (Ação Penal n. 0001848-55.2019.8.24.0020)