Kalana, Farmácia Gorini e Veneza
Artigo

Viva a Elegância!

Ao longo dos meus vinte e tantos anos dedicados à moda uma das perguntas que mais ouvi foi: O que é elegância para você? E a resposta vinha sempre com um sorriso tímido: Elegância é ser educado. Tímido por saber os olhares de estranheza que eram disparados ao ouvir essa resposta tão simples e tão mágica.

E a estranheza estava relacionada a ideia de que a elegância está ligada unicamente a roupas, a bolsas caras e a saltos vertiginosos. Pois bem, elegância não está e nem nunca esteve ligada somente a isso. Ela vai muito além de ter bom gosto e saber se vestir. Elegância está intimamente ligada a alma.

Certamente gostamos de admirar pessoas bem vestidas. E sim, uma boa alfaiataria causará uma ótima impressão e passará uma imagem muito elegante a seu respeito, porém, essa elegância será momentânea e não sobreviverá se ela não estiver estruturada em boas atitudes. Não há roupa que sobreviva a falta de educação.

A verdadeira elegância é algo que carregamos e não que vestimos. Novamente, a elegância é algo que carregamos e não que vestimos, deveríamos repetir isso inúmeras e inúmeras vezes, como um mantra. Se a vestíssemos, poderíamos então dizer “hoje vestirei minha elegância e sairei por aí”, isso sim seria estranho, não? Estranho porque elegância não tem dia e nem hora para acontecer. Ela simplesmente nos acompanha, dorme e acorda conosco. Está no trânsito, no posto de combustível, no supermercado, na fila do banco. Não a vestimos. Nós a carregamos.

Careás
Brogni Construtora
Borba Móveis
Farmácia Gorini
Gran Amore
Veneza Multimarcas

Elegância está no “me desculpa” e no “muito obrigada”. No reconhecimento do esforço do outro, no olhar sincero de quem é verdadeiro. Elegância está na mão que ajuda, está na gratidão. Uma pessoa elegante tem encantamento na voz, fala com propriedade e tem jeito com as palavras. Sabe chamar a atenção sem ser grosseiro, observar sem se intrometer, sabe respeitar o espaço do outro. É prazeroso ficar perto de alguém elegante.

Ao longo desses anos cruzei com todos os tipos de pessoas: algumas extremamente bem vestidas e elegantes, outras vestidas de forma simples e elegantes, bem vestidas e grosseiras, mal vestidas e grosseiras, ou seja, a roupa não é garantia de nada, ela é simplesmente uma capa, uma cobertura, um adereço.

E quanto mais conheço pessoas, mais percebo que a elegância está na simplicidade (e isso certamente nada tem a ver com roupas) e não nos rótulos e invólucros sociais. Elegância não tem a ver com situação financeira, mas com referência de vida.  As roupas, por si só, constroem personagens, mas o que dará sustentação e alma a eles serão as nossas atitudes.

Agora, pense nas pessoas elegantes que você conhece. Pense em suas atitudes, em seu olhar, nos gestos, no tom de voz.  Será que elas são feitas somente por roupas? Seria muito triste chegar a essa conclusão.

E para encerrar, atrevo-me a parafrasear o grande ícone de elegância, Coco Chanel: “Elegância é quando o interior é tão belo quanto o exterior”.

Andreia Bortolin


Coopera rodapé
Topo