Infoway cabeçalho
Colunistas

Omàjo a Cláudio Mário Crippa

Nicola Gava

O Saudoso Cládio “Crapon” Crippa será homenageado com seu nome batizado no campo de futebol suíço que está anexo ao complexo esportivo municipal da capital mundial da Polenta. Para quem conhece a real história neoveneziana, a merecida homenagem faz jus a este filho da terra que tinha uma paixão pelo esporte, em especial pelo futebol. Desde sua adolescência Cládio adorava jogar e promover o futebol.

Cládio nasceu em Nova Veneza, SC, no dia 27 de maio de 1939. Filho de Mario Crippa e Joanina Luz Crippa. Em Julho de 1965, casou com Anita Beckhauser natural do município de Armazém – SC, tiveram quatros filhos: Síglea Crippa Spillere, Sinara Maria Crippa Milanez, Emerson Crippa e Cladianita Crippa. Filho de umas das mais tradicionais famílias neovenezianas, os Crippa contribuíram muito para o desenvolvimento econômico social, comercial e industrial do nosso município, pois, além de comércio na área central de Nova Veneza, sua família teve o primeiro grande engenho de beneficiamento de arroz de Nova Veneza. Na época já comercializava para outros estados, principalmente os estados do Rio De Janeiro e de São Paulo.

Veneza Multimarcas
Auto Lavação de Venezia
Careás
Advocacia Previdenciária

A tradição familiar de comerciantes bem sucedidos, não tirou a humildade de Cládio em ações sociais, filantrópicas e esportiva. Liderou inúmeras vezes campanhas sócias, principalmente para angariar fundos para o hospital São Marcos e outros. O esporte era sua paixão, principalmente o futebol, uma tradição familiar, era tanta paixão que o estádio/campo de futebol de Nova Veneza era de propriedade do seu pai “Mário Crippa”. Quem se lembra do campo fechado de tábuas com bilheteira e vestuários? Localizado onde hoje é a Praça Pedro Bortolotto entre o centro de Nova Veneza e o Bairro Bortolotto.

Cládio desde criança sempre manifestou sua paixão esportiva, ainda menino organizava times de futebol entre crianças. Liderou a utilização de uma área devoluta de diversos terrenos que, somados a uma área do Grupo Escolar Abílio Cesar Borges, se constituía no campo de futebol da criançada neoveneziana no período de 1948 à l954. Organizava equipes de futebol entre os moradores de um lado e do outro do Rio Mãe Luzia, além de outras equipes da periferia.

Quando estudou no Colégio Dehon do município de Tubarão, segundo os testemunhos do seu amigo vivente Dr. Nivaldo Nuernberg Cládio era o braço direito do Professor Vicente Schillikman, na organização de equipes de futebol e campeonatos entre os alunos do referido colégio, com os alunos de outros centros de ensino. Convocado para o serviço militar serviu na unidade dos Dragões da Independência do Exercito Brasileiro, no Rio de Janeiro, quando o Rio era a capital do Brasil, onde se destacou na prática do futebol daquela unidade, e fora convidado para atuar no Bangú Futebol Clube, onde passou a treinar, porem diante da incompatibilidade entre esta atividade e o serviço militar, teve que declinar do convite.

Terminado o período do Serviço Militar, retornou para sua terra natal, e independente das suas atividades laborais, passou a dedicar-se ao GEM (Metropolitano Futebol Clube), como jogador, técnico e presidente. Dedicava especialmente atenção ao treinamento de crianças e adolescentes. Nos períodos de férias escolares ele fazia o Metropolitano. ganhar maior projeção e destaque incluindo jogadores neovenezianos que estudavam nas mais diferentes cidades do país. Quando sua família foi residir em Criciúma, Cládio passou a dividir sua atenção entre o Metropolitano e o São Paulo Futebol Clube da “Vila Operária” de Criciúma. Crippa integrou-se por dois anos no Conselho Arbitral da Federação Catarinense de Futebol, período em que era diretor administrativo da mesma, juntamente com outro neoveneziano, senhor Milton Mondardo.

Hoje, gerações viventes ainda lembram este nobre cidadão neoveneziano, por sua incansável dedicação em vários seguimentos da nossa sociedade. Nos registros: manuscritos, tipográficos, fotográficos e verbais da sua época, ele está muito presente. Em poucas palavras, um homem do bem, do esporte, ele era músico, adora a boêmia, pois, adora cantar e tocar violão, sempre alegrando os que estavam próximo a ele.

Além das modalidades esportivas, Cládio trabalhou nas empresas da Família Crippa, comandadas pelo seu pai, Mário Crippa. Cládio faleceu no dia vinte e sete de julho de mil novecentos e oitenta e oito, com apenas aos 49 anos de idade. Está sepultado no jazigo familiar do cemitério municipal de Nova Veneza.

Era carinhosamente conhecido por “Crapon” que na língua vêneta significa cabeça grande. Parabéns ao governo municipal em especial ao diretor municipal de esportes Hériton “Babú” Sandrini pela excelente escolha do nome.

Uma placa alusiva ao homenageado será colocada no campo de futebol suíço. O descerramento acontecerá no dia 18 de agosto, quando será inaugurado a reforma com a grama sintética. (Por Nicola Gava – Bmnt, Emerson Crippa e Nivaldo Nuernberg).

Sani… Bon conplean

Quem trocou de idade no último domingo foi a bela empresária do setor metal mecânico Sani Giradi Spillere esposa do Rogério “Gique” Spillere do principado caravaggiano. Para comemorar a data

Sani reuniu a família e alguns amigos mais próximos para comemorar a data. Auguri vivissimi di um Bon Conplean…. Saùte e paxe senpre!!!

Tosati di una olta

No registro do “Bauco” está o Valdir Marangoni e o Angelo “Angeleto” Damiani nativo e moradores da localidade de Picadão. Angeleto passando dos  80 anos com excelente saúte. Un gran strucon par cuei del Picadon!!!

Amor par senpre

No registro fotográfico do arquiteto José Luiz Ronconi o caravaggiano Eneval Spillere e sua esposa Maria Ghislandi Spillere selando um “basin d’amor” na Ponte Dei Morosi. O amado beijo foi para consagrar os 50 anos de união do casal. Conlimenti!!!

Sincuànta ani di maridà

Outro casal neoveneziano que completou bodas de ouro, ou seja, cinquenta anos de vida matrimonial foi o Paulo Marini e Aurora Magenis Marini. Marini há décadas moem milho pra fazer o prato mais típico da capital mundial da Polenta. Bei morosi!!!

Baucando

Gaucho de Taquara e residente na capital mundial da Polenta, o professor chefe gastronômico, Cezar Luiz De Souza Martins é um dos mais novos integrantes da Pan & Vin vai ser o anfitrião octogésima primeira reunião da entidade. Cin-cin fiòi…!!!

“Administração com responsabilidade social” este é o tema da palestra que acontece na segunda-feira dia 21 de agosto a partir das 20 horas no teatro municipal Palazzo Delle Aque de Nova Veneza com o professor Nilson Olivo.  Acesso dois (2) produtos/volume de material de limpeza que serão doados para a Apae de Nova Veneza. Bravo!!!

Contagem regressiva para edição do XVIII Rodeiro Crioulo do CTG Fronteira da Serra de Nova Veneza. O evento acontece de 18 a 20 de agosto no parque de rodeios na localidade de Picadão. Orcocan tchê!

Nicola 1

Pilar final pauta
Spilere Serralheria G
Sky Grande
Topo