Infoway cabeçalho
Colunistas

Você conhece o cérebro que existe em sua barriga?

Quem nunca ouviu dizer por aí essa afirmação, talvez nunca tenha se perguntado: qual a real influência de minha alimentação em minha vida?

Uma coisa lhe garanto, essa influência não diz respeito apenas à nutrição! E vai muito mais além…

Veneza Multimarcas
Amboni Refrigeração
Sky
Móveis Mondardo

A edição do mês de julho da revista Superinteressante da editora Abril  revelou que nosso sistema digestivo pode ser considerado (como já é conhecido por pesquisadores) como nosso segundo cérebro, contando com aproximadamente meio bilhão de neurônios.

E assim, essa “rede de neurônios”, composta de 6 a 9 metros, iniciando no esôfago em direção ao reto, forma um sistema nervoso, conhecido como entérico.

Além disso, nossa “barriga” abriga grandes quantidades de neurotransmissores como a dopamina e serotonina, que estão diretamente ligados à sensação de felicidade e transtornos de humor, como a depressão.

A novidade não está apenas em saber que nosso sistema digestivo é capaz de emitir ordens às funções do organismo, como iniciar a digestão, vomitar uma comida estragada ou ainda, ordenar que cesse a liberação do hormônio que causa fome; mas sim, que essa região do corpo se tornou a morada de várias espécies de bactérias “boas” capazes de auxiliar no controle da ansiedade, stress, dor, fome e estímulo do raciocínio.

Para se ter uma idéia, o corpo de um homem de aproximadamente 1,70m e 70kg é composto por 30 trilhões de células humanas em média, em contrapartida, é ocupado por 39 trilhões de bactérias!

Nos experimentos realizados, foram encontradas até mesmo relações entre as bactérias abdominais com o autismo, câncer e obesidade, podendo significar um novo rumo aos tratamentos futuros desses casos.

Embora não se tenha total compreensão de como funciona inteiramente essa relação entre o sistema digestivo e o cérebro, sabe-se que ele possui uma função reguladora no organismo, e que seus neurônios agem sobre o cérebro; havendo até mesmo, futuramente a possibilidade de serem encontrados medicamentos antidepressivos em forma de iogurtes nos supermercados, conforme afirmou o neurocientista brasileiro Gilliard Lach.

A faca de dois gumes nesta história fica por conta dos antibióticos, que mesmo sendo uma descoberta que revolucionou a medicina, é também o responsável pelo extermínio das bactérias e micro-organismos intestinais, mesmo os benéficos.

Patrícia Ghislandi é psicóloga com o registro CRP 12/15037


Topo