Os vereadores do Município de Nova Veneza estão preocupados com estiagem que atinge a região e que vem causando prejuízos para agricultura. Na sessão desta quinta-feira, quatro matérias, sendo duas indicações e dois requerimentos, pautadas pela falta de chuva, foram aprovadas por unanimidade.

Na primeira indicação os vereadores pedem a limpeza da sanga e valos para os agricultores do município, principalmente no interior. Segundo o vereador Edgar Preis (PP) a os agricultores estão com dificuldade de abastecer os criadouros de animais. “Tem agricultores e aviários que estão sem água na sua propriedade”, informou Preis, dizendo que há propriedades onde o problema é urgente, e o consumo dos aviários ultrapassam 10 mil litros por dia.

Numa segunda indicação foi solicitado a Secretaria Municipal de Planejamento e para a Comissão da Defesa Civil do Município, para que juntos decretem situação de emergência. Para o presidente do legislativo, Lodejane Zanoni (PMDB), se não forem tomadas medidas urgentes o município poderá passar por um problema muito sério com relação ao abastecimento de água aos humanos e também aos animais. “Não devemos esperar para que a chuva traga alento aos munícipes, é necessário que haja intervenção do poder público”, disse Zanoni.

Ainda na sessão foram aprovados dois requerimentos. Um endereçado ao Gerente Regional da CIDASC, Vilmar Warmling, e um segundo ao Secretário de Agricultura do Estado de Santa Catarina, João Rodrigues, as duas matérias pedindo uma máquina perfuratriz para fazer um poço artesiano na comunidade de Rio Cedro Médio. “A comunidade já está sentindo a falta de água potável para beber”, relatou o vereador Edaltro Luiz Bortolotto (PSDB). O presidente da casa, Lodejane Zanoni, lembra que a comunidade de Rio Cedro Médio, possui a Associação de Consumidores de Água de Rio Cedro Médio, ACARCEM, responsável pela operação do sistema de distribuição de água, tem dois pontos de coleta de água de superfície. Apenas um destes locais tem poço artesiano e em virtude da seca, é necessário um segundo ponto de captação da água. “Esse trabalho é necessário para dar segurança aos consumidores, já que a água é fundamental para sobrevivência humana“, argumentou Lodejane.

Antonio Rozeng