Colunistas

A verdade sobre o coelhinho da páscoa

Venho por meio deste texto mostrar minha indignação com alguns humanos que arruinaram minha vida. Há séculos que minha espécie vem sendo o fator principal de uma mentira deslavada e diabética: a mentira sobre o coelhinho da Páscoa.

Tudo começou quando recebi uma ligação do presidente do país me convocando para uma reunião muito importante e, mesmo sem saber o motivo, resolvi ir. Quando cheguei ao local, pude ver o quanto aquele encontro era realmente importante, pois, na mesa, estavam os maiores empresários no ramo de chocolates do país, além do presidente da república e o sumido Papai Noel que, por sinal, eu não entendi muito bem o porquê de ele estar ali, mas tudo bem.

Conversa vai e conversa vem, fizeram-me uma proposta milionária para ser o garoto propaganda da Páscoa e que, a partir daquele momento, as pessoas iam me pedir ovos de chocolate e acreditariam que eu os levaria todo ano. Não entendi o porquê de me escolherem, sabendo que existem vários animais ovíparos no mundo. Me disseram que me escolheram porque sou símbolo da reprodução e, de quebra, sou bonito e fofinho.

Todavia, deveriam me convidar para posar nu se sou tão atraente assim, mas não para fingir que entrego ovos e alguns até acham que eles saem de mim. Mesmo sabendo que seria uma mentira grandiosa, eu resolvi aceitar, pois o pagamento era recompensador: eu e minha família teríamos direito a um estoque de cenoura vitalício e um cartão de vale-alimentação sem limites para as fruteiras da cidade.

O arrependimento não demorou muito para chegar, já aconteceu no dia seguinte. Quando saí na rua, me vi por toda parte. Em outdoors, vitrines de lojas e nos ovos de chocolate que eu não imaginei que seriam tão grandes. O meu sossego terminou ali, crianças não podiam me ver que já vinham me pedir ovos e tirar fotos e, quando eu dizia que não tinha ovos naquele momento, a choradeira era grande. Tentei ficar sério e fazer cara de bravo para as crianças não chegarem perto de mim, mas fica difícil ser sério quanto se tem dois dentes da frente da boca saltados para fora.

Arrumei muita briga com minha espécie, pois ficaram rindo de mim no futebol, na academia e até no supermercado. Me zoavam dizendo que não sabiam que eu tinha uma bunda tão larga para expelir ovos tão grandes. E não adiantava explicar que os ovos não saíam de mim.

Todo mês de março e começo de abril, eu e minha família nos trancamos em casa para evitar tamanho assédio. Já tentei desfazer o contrato com os empresários, mas o contrato é infinito, então, resolvi falar com Papai Noel, já que ele estava presente na ocasião. Após contar tudo que estou passando, o bom velhinho me disse algumas palavras que nunca vou esquecer: Rou Rou Rou Feliz Natal. Agora, num gesto de desespero, resolvi contar para os humanos toda a verdade, sei que depois deste texto corro risco de vida, mas preciso fazer algo, não quero que meus filhos e netos fiquem a vida toda passando por isso.

Muito bem humanos, eu não ponho ovos nenhum e muito menos de chocolate, eu sou um mamífero, ou seja, minha espécie se reproduz do mesmo jeito que a de vocês, não por ovos. Eu não levo ovo para ninguém na Páscoa e nem em época nenhuma, não imagino de onde venham estes ovos. Eu não sou símbolo reprodutor coisa nenhuma, depois que inventaram a camisinha e a Netflix a reprodução caiu para quase zero. Então, procurem o verdadeiro significado da Páscoa, pois eu não sei, só sei que não tenho nada a ver com isso. Sei que este texto vai chocar a humanidade, mas é a mais pura verdade. Feliz Páscoa a todos.

You must be logged in to post a comment Login

Topo
NOSSAS NOTÍCIAS NO SEU E-MAIL
Receba uma vez por dia no seu e-mail, as notícias do Portal Veneza
Suas informações nunca serão compartilhadas com terceiros.