Por Redação Portal Veneza /Fotos: Leonardo Ferreira

A tecnologia de higienização por ozônio está garantindo a retomada gradual e segura das atividades presenciais na Unesc. Nesta segunda-feira, 15, a segunda fase de retorno foi iniciada, com a garantia do método mais assertivo de desinfecção contra o coronavírus em uso no mundo.

A primeira ação, que se repete ao longo do dia e da semana, é a descontaminação dos ônibus. “A Universidade coloca à disposição o que há de mais avançado no combate à Covid-19, resultado de um importante investimento institucional. Em nosso campus, temos a garantia de um retorno seguro e confiável aos nossos estudantes, professores e colaboradores”, garante a reitora, Luciane Bisognin Ceretta.

O uso do ozônio dentro do processo de higienização do campus é executado pelo Comitê de Biossegurança e inicia mais de 12 horas antes do primeiro turno de aulas. No dia anterior, equipes da Universidade realizam a descontaminação de todos os espaços de convivência e aprendizagem. Ao amanhecer, logo antes do primeiro turno, os ônibus que chegam também passam pelo processo, e em apenas seis minutos são eliminados 99% dos vírus e bactérias presentes no interior.

Tecnologia será parte da rotina na Universidade

Desenvolvidos no Iparque (Parque Científico e Tecnológico), parte do primeiro projeto de higienização por ozônio para o combate da pandemia Covid-19 do Sul do Brasil, os dispersores serão presença constante no campus da Unesc, agora e no pós-pandemia. Para garantir a assertividade desta ação, os colaboradores foram capacitados para uso do equipamento.

A tecnologia presente no projeto é estudada na Universidade desde 2013. Sua capacidade de desinfecção entrega uma resposta 100 vezes mais potente do que o cloro e age 3.120 vezes mais rápido. Dentro do dispersor, a transformação é iniciada quando o ar passa por uma peneira molecular, que separa o nitrogênio presente. O oxigênio em forma concentrada é levado ao gerador de ozônio. O resultado é a abertura de um arco elétrico, que transforma o O2 em O3, ou seja, o ar em ozônio. Uma vez gerado, ele é espalhado em todo o ambiente e alcança espaços onde a mão humana e ferramentas convencionais não podem alcançar.

Retorno seguro e planejado

As atividades presenciais no campus da Unesc estão sendo retomadas de forma gradual desde o dia 8 de junho. A decisão foi tomada mediante liberação por meio de decreto Estadual e, principalmente, acompanhamento minucioso da situação por profissionais de saúde e epidemiologia.

O retorno neste momento será apenas de acadêmicos das fases finais dos cursos de graduação que não integrem o grupo de risco e que desejem retornar. A retomada será exclusivamente para atividades de ordem prática e estágios obrigatórios. Saiba mais clicando aqui.