Colunistas Paulo Ricardo

Paulo Ricardo:Uma carta aos jovens

blank

Uma das melhores fases da vida é a da juventude. Nela está o vigor, a saúde, o ânimo…

O jovem atual é moderno, porém, virtual. Por isso, vive, muitas vezes, no mundo superficial. Há, porém, aqueles que são centrados, profundos e pensadores; mesmo fazendo uso das tecnologias em geral.

A mocidade atual nem sempre sabe aproveitar como deveria. Alguns perdem a vida antes mesmo de completarem 20 anos de idade. Outros sobrevivem mais tempo, entretanto, com a saúde debilitada. Houve uma época, nos E.U.A, em que os cantores (as) entravam em óbito exatamente aos 27 anos (em virtude das drogas e álcool).

O jovem pode e deve aproveitar (dependendo do ponto de vista concernente ao que é aproveitar), todavia, esse aproveitar deve ser ponderado. Não podemos esquecer, neste ínterim, das palavras do sábio Salomão: “Alegra-te, jovem, na tua mocidade, e recreie-se o teu coração nos dias da tua mocidade, e anda pelos caminhos do teu coração, e pela vista dos teus olhos; sabe, porém, que por todas estas coisas te trará Deus a juízo” (Eclesiastes 11.9). Após essa citação, alguns moços e moças devem pensar: “Religião não se discute”, “eu já tenho minha religião”, “Deus está comigo”, “sou muito jovem para este negócio de religião”. Concordo!

O assunto em pauta é a sua vida! As coisas de Deus se aceita ou não, ou seja, não se discute mesmo! É uma questão de fé. A discussão ou indução não leva a lugar algum.

Nem todos os jovens são felizes. Por isso, convoco e desafio a juventude atual a conversarem com Deus ao menos 5 minutos por dia. Independente da religião (reforço que o objetivo aqui não é religião e sim, a sua vida!). Converse qualquer assunto com Deus, pois Ele é teu criador.

Ele te entende! Fale com Ele como se estivesse ao seu lado. Experimente! Um dia experimentei e a mudança foi tremenda. A tristeza saiu, dando lugar para alegria. O ódio saiu e entrou o amor. Enfim, houve uma melhora considerável há 12 anos atrás. E, isso tudo, por meio de conversas com Ele. Na época eu não tinha religião.

Pense sobre isso!

 

Todos os dias as notícias do
Portal Veneza no seu e-mail

Leia nossa política de privacidade para mais detalhes.