É em Verona que fica o maior interporto de cargas da Itália, chegando diariamente vários trens do Norte da Europa, principalmente da Scandinávia, Holanda e Alemanha.

O interporto de Verona é muito importante porque fica no cruzamento de duas grandes rodovias, a autoestrada A-4 Milano-Venezia com a A-22 Brennero-Modena, além das linhas ferroviárias Torino-Trieste e Bolonha-Brennero. Chegam em média, 54 trens por dia provenientes de Rotterdam-Holanda, Mônaco, Bremen, Lubeck, Colônia e Hamburgo na Alemanha, além de outros vindos dos países Bálticos e também de Oslo-Noruega.

Centenas de carretas chegam e partem todos os dias só em Verona para o Norte Europeu. Só da Volkswagen chegam todos os dias dois trens de peças e cinco trens de automóveis novos vindo da fábrica da Alemanha.

A principal carga que chega na Itália é de celulose da Escandinávia. As cargas que saem do interporto de Verona para esses países, são produtos industrializados, principalmente metalmecânico e vinhos.

O transporte intermodal funciona assim; as empresas, principalmente alemãs e escandinavas, têm as carretas e ao chegarem em Verona, outras empresas que possuem apenas os tratores, engatam as carretas e fazem entregas em toda a Itália, depois de vazios, recarregam as carretas e devolvem no interporto que serão embarcadas no trem.

Uma empresa bem antiga no ramo de intermodal é a austríaca Berger Transportes, do ex-piloto da F-1 Gerhard Berger.

Os caminhões tratores que fazem esse transporte, a maioria é da Bulgária, Romênia e Croacia. São países que fazem parte da União Europeia e trabalham por um preço mais baixo que empresas italianas. Para se ter uma ideia, um motorista búlgaro fica 3 meses trabalhando na Itália por 70 euros por dia, depois, volta para sua casa e passa um mês de férias, enquanto que na Bulgária ele ganharia metade desse valor.

Então, se na Itália está difícil encontrar motorista de caminhão, na Escandinávia e Alemanha está mais difícil ainda. Enquanto isso, o trem se torna mais barato e resolve o problema da falta de motorista.