Tempos estranhos
Colunistas Hieron Borba

Tempos estranhos

Nessa época de tristezas mil onde milhares de nossos irmãos brasileiros deixam o plano terrestre diariamente é cada vez mais difícil buscar as circunstâncias que comumente me fornecem a matéria prima que utilizo nestes escritos procurando sempre unir : importância, crítica, elogio e bom humor.

Sinto até que brincar numa hora dessas faz parecer que estou cometendo um desrespeito a tantas mortos, entubados, hospitalizados, fragilizados, familiares e profissionais de saúde. Tantos avós, pais, irmãos, esposos, filhos, tantos amores, tantos sonhos, tantas lembranças que se foram… atirados na vala comum da Covid.


Aliado a isto meu país se tornou um “inferno astral” completo e absoluto com ódio mentiras, falsos profetas, ignorância e maldade grassando adoidados entre nós embalados pelos “senhores da razão” das redes sociais. Longe de mim querer ser o dono da verdade mas acredito que tenho a obrigação de expor minha posição quando torno um texto público seja ela a mais correta ou não.


Chega um momento que a mente da gente entra em parafuso com tantas informações desencontradas e opiniões conflitantes. Começas a duvidar das tuas certezas e questionar tudo e fico procurando uma ilha de serenidade e bom senso em meio as turbulências oceânicas de tantos interesses “ por detrás” das aparências.

Vejo familiares e amigos se agredindo por opiniões políticas que até pouco tempo não davam a mínima … agora tudo é “ direita e esquerda ” e não ser do teu lado é um pecado monstruoso e mortal. Caríssimos… lutem pelos seus ideais mas não troquem seus afetos e amizades por isso … não vale a pena..! Gente, vamos aprender com a História e com o passado, eles nos mostram claramente que este jogo não é jogado pelo bem comum mas é sim um imenso jogo de interesses pessoais.

Quantas vezes já vimos os comandantes de partidos mortalmente inimigos algumas eleições depois estarem aliados ente elogios, beijinhos e juras de amor eterno …. e os “ soldados dos partidos” lá embaixo se se arrebentando
uns aos outros furiosamente.

Enquanto lutam pensando em “esquerda e direita” sem ao menos saber o que representam esquecem que na verdade esta batalha é outra e vem desde os tempos imemoriais : é a luta do “capital versus trabalho” (e ultimamente o capital vem ganhando de lavada…. ). Chegamos a um ponto que somos impedidos de manifestarmos uma colocação contrária à aquela pregada pelos líderes das facções em disputa.

Por exemplo, se acredito que nosso Presidente não teve uma postura pessoal correta em relação à pandemia com seu comportamento “ negacionista”, sem usar máscaras, provocando aglomerações e que faltou uma coordenação nacional firme, determinada e coerente neste setor sou crucificado, xingado, ofendido e viro “esquerdista” , “comunista” ( que
enlouquecidamente se tornou sinônimo de satanista … ) . Se afirmo que alto comando do PT muito mais que prejuízos financeiros para o Brasil trouxe com suas ações relacionadas a um enorme esquema de fraudes e corrupção um prejuízo inestimável e irreparável à alma do povo brasileiro, prostituindo o “sonho “ e vendendo a “esperança “de milhões de nós, arrasando assim a continuação deste viés ideológico… quem agora em diante vai acreditar num caminho futuro onde justiça e equilíbrio social andarão de mãos dadas com uma melhor distribuição de renda ? Pronto …. já virei facista, filhote da ditadura, mooonstro!
Assim vamos entrando num turbilhão de desatinos os pensamentos não mais se coordenam e as ideias vão se fragmentando … e … e …e aí :

  • Sai governador, entra governadora … entra governadora , sai governador e tem deputados no primeiro processo que afirmaram que o Moisés era o Demo mas um mês depois santificaram o “homi ” e se tornaram até “secretários de estado “?
  • Vi passar quatro ou cinco ( perdi a conta ) Ministros da Saúde em plena pandemia ( mergulhados em cloroquina e sem vacina … )
  • Aí, o condenado fica livre e o Juiz que condenou e bloqueou grande parte dos corruptos na “lava jato ” é condenado por suspeição por um tribunal onde a maioria dos seus integrantes foi indicada pelo réu, logo suspeitíssimos para este caso ( o
    engraçado é que tem uns que agora não sabem se xingam ou elogiam o Moro… dúvida cruel ).
  • Aí tenho que escolher : ou vou de carro até o mercado e não compro nada já que a gasolina está com o preço nas alturas ou vou a pé e compro a quinta parte do que comprava pelo mesmo valor de pouco tempo atrás porque os preços foram para duas
    alturas e vejo e leio que não temos inflação?
  • Aí, de novo, de novo, de novo … tá lá o Centrão … todo faceiro mais uma vez…. gordo, bonito rosaaaado, empapuçado de cargos e salários “ingual “, “ingual” aos últimos duzentos anos.
  • Aí, fecha tudo, abre tudo, pode comer, não pode beber, não pode beber… só pode comer … pode ir na padaria … não pode …. só até as dez… só até as oito … fecha… abre… o local de trabalho tem distanciamento social e higienização mas para chegar
  • o “cristão “ tem que ir “compactado “ num ônibus abarrotado….. e os Bancos para ajudar o ajuntamento geral diminuem o horário de funcionamento.
  • Aí , Opa, mas também tem coisa boa : vacinação, mutirão de testes, reciclagem, agricultura familiar abastecendo a merenda escolar, castração dos cães, a Praça e a Rua dos Imigrantes estão lindas , cheinhas de ovos e coelhos ( Dalmolim, tem que castrar os coelhos também, estão invadindo a cidade… ) Tem o Livro do Benício, maravilha maravilhosa …Ó Bela, Dio Furbo, Zio Can!
    Aí, Brasil acima de Tudo e “nóis “ …. embaixo ! E os comandantes do Exercito , Aeronáutica e Marinha pediram demissão, huuuuum , ai, ai , ai ,cabra macho … Ivermectina … cadê o Oxigênio… Vote, vote no 11 …. Geinho …Teletubies….. Minattoooooo… tem time que tem comodato mas não tem time – Vacina … to vacinado … to variando … até a pé nos iremos … Big Brother … – Meu Deus … é demais… socorro … Jesus ! ,não volta mais não , vão te crucificar de novo ! Tá tudo muuuuito chato ! Tá tudo mi mi mi !

Todos os dias as notícias do
Portal Veneza no seu e-mail

Leia nossa política de privacidade para mais detalhes.