Passarela sobre o Rio Mãe Luzia será inaugurada na próxima sexta-feira, 03 de julho às 19 horas. Era um velho sonho que foi realizado na localidade de Jardim Florença no distrito de São Bento Baixo Nova Veneza, interligando com município de Criciúma pelo Bairro Mãe Luzia, onde o próprio Rio Mãe Luzia é o divisor das extremas dos municípios.

Vamos conhecer um pouco sobre o importante e histórico acesso. No princípio da colonização e por muitos anos a travessia era feita por um passador, ou seja, pelo próprio rio onde havia um baixo lençol d’água.

Depois fora construída uma ponte de madeira rebaixada para a travessia de pessoas e veículos leves e pesados. Com as grandes cheias e as históricas enchentes, as pontes rebaixadas não suportavam os imensos volumes de águas e eram carregadas pelas fortes correntezas.

O acesso era dentro da rodovia SC-443, que em 1978 muda de local com a construção de uma nova ponte  de concreto armado situada apenas seiscentos metros ao sul da velha ponte, permanecendo ainda hoje o único acesso de trânsito veiculares ao sudeste de Nova Veneza  com Criciúma e Forquilhinha.

Com a edificação da nova ponte de concreto e o velho acesso sendo carregado pelas cheias, o novo ficou muito distante, era preciso caminhar ou pedalar por mais de um quilômetro para chegar a pequeno centro do bairro Mãe Luzia, eixo de muitos ônibus com destino a Criciúma e Forquilhinha que ainda nos dias de hoje absorvem muita mão de obra neoveneziana.

Para encurtar caminho, o velho acesso ganhou uma ponte pênsil também conhecida como “ponte de arame ou pinguela”, construída com bases e colunas de madeiras roliças que sustentam quatro cabos de aço, dois inferiores e dois superiores, assoalho de madeira com tabuas apoiadas em travessas também de madeira.

Trançados de arames laterais mantém uniforme os quatro cabos e da segurança lateral aos usuários. Entorno de três pontes de arame foram totalmente destruídas pela forte cheias. “Bon saver!!!”

Ponte  Ayrton Brandão

Um velho sonho de uma travessia rápida e segura para os pedestres se torna realidade. Vamos completar a historia do texto acima com a inauguração da “Passarela Ayrton Brandão” sobre o Rio Mãe Luzia.

Diz o líder comunitário Jucemar Minatto que reside próximo a ponte: a passarela não é somente um novo acesso para facilitar a vida dos cidadãos de ambas comunidades, ela já se tornou um cartão postal, pois diariamente já temos muitas visitações para ver a obra de arte e centenas de ciclistas utilizam para seus circuitos.

O advogado e empresário adepto ao ciclo-turismo André Spader diz que além de espetacular ficou muito charmosa. O nome de batismo da belíssima passarela é alusivo ao saudoso engenheiro Ayrton Egídio Mattos Brandão que fez exemplar história nos dois municípios. O magnífico projeto é do casal de arquitetos neovenezianos José Luiz e Rita Ronconi (foto). O custo da passarela é entorno de 350 mil reais, vindo do governo federal, projeto de autoria da deputada Giovana De Sá.

O acesso da margem neoveneziano ganhou pavimentação e urbanização com recursos do poder municipal e doação particular. O lado criciumense também ganhou urbanização. Em espaço aberto e com devidas recomendações proteções contra o coronavírus o governo do prefeito Rogério Frigo e representantes dos dois municípios e a família do homenageado estarão inaugurando a passarela Ayrton Brandão com restrições, “uma pena seria uma inauguração com povo, mas, temos que nos restringir neste momento” afirma o prefeito Frigo.  “Bela ponte!!!”

Bandiera tricolore

Da capital mundial da Polenta Hilda Lemos a nossa oficial costureira da bandeira tricolor, ou seja, da bandeira italiana. Braa, braisima!!!

Morozi Maridai

Na última sexta feira o simpático amigo Bruno Pereira e sua bela noiva agora esposa Talita Ferreira consagraram oficialmente o matrimônio. Com as restrições da pandemia o casal festejou a união na Bodega do Zéca. O registro é do renomado fotógrafo Rômulo Magalhães. “Bei morozi maridai!!!”

Bon cunplean Nivia

Quem troca de idade na próxima sexta-feira é minha bela e querida amiga Nivia Cássia Machado Leopoldo.  Felisità oncò, diman e senpre!!!