Classificação de ambulâncias

Não sabia? Têm! Existem tipos de ambulâncias para diversas necessidades, como para transportar pessoas que irão efetuar consulta médica, e não conseguem deslocar por meios próprios, devido a sua morbidade. Exemplo: pessoa que sofreu algum acidente e está acamado em casa, ou que faz hemodiálise. Classe A.

Outra gente! Ambulância para remoção de pacientes (levar de um hospital para outro) e atendimento pré-hospitalar (sem resgate) para atender moribundos, que não precisem de médico no momento. Exemplo:  mal súbito no chão, digo, lugar de fácil acesso, ambulância municipal do Samu. Classe B.

Essa é a dos Bombeiros, ambulância com materiais de resgate e pré-hospitalar. Quando há necessidade de resgatar pessoas que se envolvem em acidentes diversos, ou que estejam em local de difícil acesso. Exemplo: mal súbito de uma pessoa que esteja trabalhando numa antena, há mais vinte metros de altura. Envolve resgate, Bombeiros. Classe C.

Gente! Aqui já temos que ter médico, enfermeiro e condutor socorrista. Ambulância de suporte avançado, tanto é usada para remoção de um hospital a outro, ou atendimento pré-hospitalar quando solicitado. Exemplo: Samu estadual. Classe D.

Além destas classes acima citadas, existe a E e F, aeronaves e embarcações respectivamente. Ou seja, aviões, helicópteros, lanchas, barcos, etc. Estes também podem ser ambulâncias, devidamente estruturadas, certo.

SOS de empresas particulares

Como você leu acima, a referência de atuação é para o serviço público, mas estas classes citadas, valem para todas as ambulâncias atuantes do território nacional. Inclusive para as empresas particulares do ramo, que possuem ambulâncias nas mais variadas classes. A área de abrangência no caso de SOS, pode ocorrer em industrias, shoppings, associações, prevenções em eventos, pessoas físicas, etc. Desde que conveniadas ao serviço, claro!

Veículos de intervenção rápida

Veículos rápidos, que conduzem o médico com equipamentos adequados, para dar suporte avançado às ambulâncias de classes A, B, C e F. Isso pode ocorrer tanto no serviço público quanto no privado.

Do colunista

Nas próximas colunas vamos ter conteúdos valiosos no que se refere ao atendimento no SOS, desde a chamada até a chegada no local. Também virão histórias felizes outras nem tanto, das incursões feitas com ambulância. Eu sou Carlos Cypriano, pós graduado em Emergência Pré-hospitalar.

SOS significado: código universal de socorro.
Créditos imagens: William B. Tomazi.
Contato: carloscypriano1@gmail.com

                          Fone: (48) 99172-9433