O sonho de todo o correntista bancário é o de manter o saldo de suas contas aplicados automaticamente rendendo diariamente. Os bancos oferecem este tipo de “investimento” o qual é conhecido como “raspa conta”. Diariamente os saldos das contas dos clientes que autorizaram são aplicados em produtos conservadores de renda fixa, com liquidez diária.

Isso permite ao correntista resgatar automaticamente o recurso para a conta corrente a qualquer momento. Mas qual a rentabilidade deste tipo de investimentos? Segundo pesquisa feita pelo Infomoney em outubro de 2019 junto aos grandes bancos de varejo no país, a rentabilidade é muito baixa, atingindo no máximo 73% do CDI dentre os entrevistados. Aparentemente não seria um mau negócio para o correntista, mas vamos esmiuçar um pouco os números:

  • Considerando que o CDI esteja atualmente próximo a 5% ao ano, e considerando o rendimento de 73% do CDI, (melhor cenário encontrado na pesquisa) resulta numa taxa bruta anual de 3,5% ao ano de rentabilidade para os investimentos automáticos nas contas. Descontando-se o imposto de renda aplicado aos investimentos de curtíssimo prazo que é de 22,5% do rendimento, a rentabilidade já cairia para 2,71% ao ano.

Tem ainda a taxa de administração do fundo que gira em torno de 3% ao ano sobre o saldo aplicado. Descontando-se 3% do valor de 2,71%, o resultado já fica negativo.  Se o valor investido for resgatado antes de 30 dias pagará IOF Regressivo (Imposto sobre Operações Financeiras), que começa com 96% do rendimento caso seja resgatado no primeiro dia até 0% do rendimento se resgatado no 30º dia de aplicação.

Então, para quem aplica o saldo e usa durante o mês, a aplicação renderá um percentual muito baixo, gerando apenas alguns centavos por mês, ou poderá em alguns casos ter que pagar para aplicar o dinheiro. Para os que tem maior renda e saldo é que a coisa fica pior, pois poderiam aplicar em outros ativos que apresentem maior rentabilidade, já que podem deixar o dinheiro aplicado por mais tempo.

Então antes de autorizar a fazer a aplicação automática do seu saldo, veja em qual das situações você se encaixa e busque o que lhe der o melhor resultado. Se quiseres maiores informações gratuitas sobre o assunto, chame no whatsapp 99146-1073 com a mensagem FINANÇAS e serás adicionado em um grupo que trata de informações sobre finanças.

Boletim Focus apura elevação na projeção para crescimento do PIB em 2019

Nesta segunda-feira o Boletim Focus trouxe uma nova projeção dos agentes de mercado para o PIB no ano de 2019, passando de 0,87% para 0,88%. Apesar de singela, a alta mostra que a confiança vai sendo retomada aos poucos. É um sinal evidente que podermos ter no ano de 2020 um crescimento mais vigoroso. Atualmente as projeções para o próximo está em 2,0% de crescimento.

Inflação mais baixa deve permitir novos cortes na Taxa Selic até o final do ano

A inflação acumulada medida pelo IPCA (Índice de Preços ao Consumidor Amplo, apurado pelo IBGE vem apresentando sucessivas quedas. O percentual acumulado até o momento está em 3,28%, bem abaixo do centro da meta que é de 4,25% ao ano.

Com a inflação menor, é possível que o COPOM (Comitê de Política Monetária) em sua próxima reunião nos dias 29 e 30 de outubro reduza novamente a Taxa Selic. Em dezembro nos dias 10 e 11 será a última reunião do ano. A expectativa do mercado é que a taxa possa chegar ao final do ano em 4,25% ao ano.

Isso seria ótimo para as empresas que pensam em investir em renovação do seu parque fabril, na aquisição de novas tecnologias, pois o custo de captação de dinheiro baixaria o que gera um efeito positivo nas expectativas dos empresários. Vamos torcer para que a taxa seja reduzida.

Economistas preveem dólar entre estável a mais caro no final do ano

Ainda segundo o boletim Focus, o dólar não apresentou elevação de preço na projeção mediana de mercado para o final de 2019, permanecendo em R$ 4,00. Porém, ainda segundo o boletim, para os economistas que mais acertam as projeções, conhecidos como Top Five, as projeções passaram de R$ 4,09 para R$ 4,13 no final de dezembro. Então, para quem precisa viajar ou precisa importar bens ou serviços, as previsões não são boas.

Fique de olho nas taxas de juros cobradas pelos bancos

Embora estejamos em vivendo com a menor taxa Selic da história, desse a sua criação, não é o que vemos nas taxas cobradas pelos bancos. O crédito pessoal por exemplo, está com taxa mensal em torno de 6% ao mês, resultando em 101% ao ano. Já o cheque especial, na maioria dos bancos está com taxa mensal em torno de 11% ao mês, resultando em taxa anual de mais de 240%.

Existem alguns bancos que tem taxas menores. Faça uma pesquisa e compare os custos entre os bancos e seja cliente daquele que lhe oferecer a maior vantagem. Só lembrando que se você aplicar dinheiro nestes mesmos bancos, receberá em torno de 3,5% por ano. Isso é muito menos do que você paga para o banco em apenas 1 mês de juros. Portanto, nunca deixe dinheiro aplicado se tiver dívidas bancárias. Saque e quite as dívidas o mais rápido possível.

A esperança dos agricultores na safra 2019/2020

A safra 2019/2020 que está se iniciando promete ser a maior de todos os tempos. Segundo o IBGE, a projeção é que alcance a cifra de 245,8 milhões de toneladas, 3,9% maior que a safra do ano anterior.

Importante para a nossa região é que a cultura do arroz deverá ter a mesma área e produção do ano anterior. Isso pode resultar em melhoria do preço do produto para o agricultor. Estamos todos torcendo para que a lavoura arrozeira volte a apresentar lucratividade, pois toda a economia regional sente os reflexos da queda de rentabilidade ocorrida nos últimos anos para o produtor de arroz.

Cuidado ao investir. A taxa maior nem sempre é a mais rentável para você

Com a queda da Taxa Selic, a aplicação de dinheiro tem pagado taxas cada vez menores para os poupadores. A renda fixa está pagando em torno de 3,5 a 4,0% ao ano. Então na hora de investir em renda fixa, é preciso entender se a taxa que estão lhe oferecendo é bruta ou líquida.

Taxa bruta é aquela onde ainda não foi descontado os impostos sobre o rendimento. Taxa líquida é o quanto você recebe já com os descontos destes impostos. Por exemplo: Se um banco oferecer um CDB que remunere a uma taxa anual de 4% mas que tenha imposto de renda e outro investimento que pague 3,5% ao ano isento de imposto de renda, é preferível ficar com a segunda opção, pois no final a taxa líquida da segunda opção será maior que a da primeira.

Bons investimentos…