De acordo com o dicionário, reconciliação é restabelecimento das boas relações com quem se estava brigado.

Mas em contexto cristão, a reconciliação é um elemento de salvação. Muitas vezes em nossa vida, colocamos as coisas em modo automático e seguimos o fluxo. Isso até mesmo acontece no convívio com Deus e nas coisas de seu ministério. Os compromissos da fé passam a ser tratados como trabalho e acabamos perdendo o foco no Cristo, que é a centralidade de tudo e já não vemos mais Deus em nós.

O que fazer quando isso acontece? A primeira coisa a se fazer é não se sentir culpado ou envergonhado e buscar o consolo do Pai. Mas em seu íntimo, no secreto, onde só você e Deus possam habitar. É lá que você contará tudo ao seu melhor amigo, que é Jesus. Deixará as lágrimas rolarem e os sentimentos aflorarem. Deixará também seu coração novamente ser tocado.

Assim, acontecerá de forma leve e processual a reconciliação com Deus. Estará de novo nos braços daquele que nunca nos deixa sozinhos. A misericórdia divina é maior que tudo. Ah, se os homens soubesse quão majestosa é essa misericórdia que vem do alto. Ela é poderosa salvação.

“Tudo isso provém de Deus, que nos reconciliou consigo mesmo por meio de Cristo e nos deu o ministério da reconciliação, ou seja, que Deus em Cristo estava reconciliando consigo o mundo, não levando em conta os pecados dos homens, e nos confiou a mensagem da reconciliação. Portanto, somos embaixadores de Cristo, como se Deus estivesse fazendo o seu apelo por nosso intermédio. Por amor a Cristo suplicamos: Reconciliem-se com Deus.” 2Coríntios 5,18-20