Por Willians Biehl

O Ciclone Extratropical que atinge a região desde terça-feira, 30, trouxe muito prejuízo e ainda causa transtornos aos moradores de Nova Veneza. Segundo a Defesa Civil do município os fortes ventos destruíram três residências e nove ficaram parcialmente danificadas.

Até a publicação desta matéria o bairro Bortolotto e arredores ainda estavam sem energia por causa de algumas árvores que caíram sobre a rede. Um dos pontos mais críticos foi na rodovia Domênico Mondardo no acesso ao bairro São Bento Alto, onde quase dez eucaliptos caíram e danificaram a rede elétrica e moradores utilizaram seus tratores para desobstruir a via.

Durante a madrugada, ápice do vendaval, uma grande árvore caiu sobre parte do telhado do Texugo’s Bikers Pub no distrito de Caravaggio, causando grande prejuízo aos proprietários.
A estação meteorológica da Epagri/Ciram localizada na barragem do Rio São Bento em Siderópolis, registrou rajadas de vento de até 134km/h.

Rede elétrica

Somente a Coopera recebeu na manhã desta quarta-feira, 350 ocorrências.  Ao todo quatorze equipes trabalham no atendimento das ocorrências. Os principais estragos, segundo o engenheiro, Jefferson Diogo Spacek, onde ainda há problemas no fornecimento de energia, foram no interior de Forquilhinha e de Nova Veneza.

Já na rede da Celesc cerca de 1,5 milhão de unidades consumidoras ficaram sem energia elétrica. Neste momento, 300 equipes trabalham para recuperar o sistema, com cerca de 1.300 pessoas, mas o trabalho exige retirada de material pesado das redes e a previsão é recompor 75% a 80% do sistema até o final desta quarta-feira. No interior do Estado o tempo de recomposição pode ser de dois a três dias.

Mortes

Conforme o portal G1, a morte registrada em Ilhota é de um caminhoneiro de São Paulo que trabalhava para uma transportadora e estava havia dois dias em Santa Catarina. Sérgio Idalgo, de 59 anos, morreu após um muro desabar no bairro Baú Baixo. De acordo com a Defesa Civil do município, ele teria ficado preso entre um caminhão e a estrutura. No município, dois ginásios de esportes desabaram, casas foram parcialmente atingidas e a marquise de um mercado caiu em cima de carros.

A região da Grande Florianópolis registrou a maior parte das vítimas do “ciclone bomba”. Em Santo Amaro da Imperatriz, um homem morreu depois de ser atingido pela fiação elétrica de um poste que depois da queda de uma árvore. Em Tijucas, três trabalhadores não resistiram depois da queda de um galpão. Em Governador Celso Ramos, uma morte foi confirmada na manhã desta quarta e ao menos oito pessoas ficaram feridas.

Em Chapecó, no Oeste, uma idosa de 78 anos morreu após a casa onde ela morava ser atingida por uma árvore. Outras mortes no estado ocorreram em Itaiópolis e outra em Rio dos Cedros, mas não foram divulgadas mais informações sobre essas duas ocorrências.

No Rio Grande do Sul, um homem morreu soterrado após um deslizamento de terra causado pelo temporal em Nova Prata, na Serra. Vanderlei Oliveira, de 53 anos, foi socorrido pelos bombeiros, que o encontraram embaixo dos escombros de um tapume que ajudava a erguer na encosta de uma construção, no loteamento Clivatti. Ele chegou a ser levado para o Hospital São João Batista, mas não resistiu.