Por Cris Freitas

O Governo de Nova Veneza divulgou os números preliminares dos estragos causados pela enxurrada da última quinta-feira, 17, após um dia todo de trabalho das equipes da Defesa Civil Municipal e Regional. 

Foram contabilizados prejuízos que ultrapassam R$ 2 milhões de reais. Os dados apontam 290 residências, comércios atingidos, seis quilômetros de estradas vicinais de chão batido e 3,5 quilômetros no perímetro urbano comprometidos e oito pontes danificadas.

Com os pontos de alagamentos, três famílias precisaram deixar as suas residências e 12 famílias ficaram isoladas na localidade de Sanga Curta, interior do município. Também três empresas, além de 28 unidades de comércio e serviços foram atingidas com o desastre. Chegam a onze os bairros com registros de pontos de alagamentos. São eles: Centro, Bortolotto, Nossa Senhora de Lourdes, Eliza, Bortoluzzi, São José, Baixada, São Bento Alto, São Bento Baixo, Rio Cedro Médio e Sanga Curta, no interior do município.

O prefeito em exercício e coordenador municipal da Defesa Civil, Sérgio Alberto Spilere, comentou sobre os dados levantados pelas equipes e que ultrapassam R$ 2 milhões de reais em estragos. “As nossas equipes trabalharam durante todo o dia para apurar os prejuízos. Nós continuamos na captação de dados para repassar a Defesa Civil do Estado e Federal. Nós temos uma audiência com o Secretário da Defesa Civil na segunda-feira e vamos levar os números preliminares na busca de recursos para a recuperação de estradas, pontes e construções de drenagens”, afirmou.

De acordo com o coordenador da Defesa Civil, Rosinei da Silveira, o processo continua com o preenchimento de formulários e relatórios do desastre nos próximos dias. “Nós vamos encaminhar as informações via sistema S2id e SISDC para o Governo do Estado e Federal e o processo deverá ser concluído num prazo de 10 a 15 dias.

No Estado vai ter um prazo de 30 dias para fazer o exame de toda a documentação encaminhada e ser feita a homologação. A partir da homologação, poderemos pleitear algumas políticas públicas junto ao Governo do Estado. E com o reconhecimento do Governo Federal também poderemos buscar financiamentos para obras de recuperação de estradas e de pontes.

E para a população, o com o cadastramento podemos oferecer, após o reconhecimento do Governo Federal, através do decreto de situação de emergência, a liberação do Fundo de Garantia para que possam reconstruir os seus muros, suas residências ou comprar eletrodomésticos”, ressaltou.