Turismo

Prefeitos do Sul e Serra se unem para implantar a Rota dos Jesuítas

Por Cris Freitas

Durante o encontro foi formado o grupo de trabalho para alinhar o roteiro que deverá ser implantado na região.

Os prefeitos do Sul, da Serra Catarinense e gestores de turismo estiveram reunidos com o empreendedor Wirto Schaeffer e o responsável técnico pelo projeto, André Monsores para ampliar a discussão da implantação da Rota dos Jesuítas, nesta terça-feira, 19, na cidade de Urubici.

O projeto irá ligar o Sul a Serra Catarinense a partir da conclusão das obras na BR-285, no trecho que liga Timbé do Sul a São José dos Ausentes.

“É uma causa que está há muitos anos atrasada e é muito importante fazer acontecer o mais rápido possível a Rota dos Jesuítas. Daqui há três anos teremos o maior roteiro do sul do Brasil” revelou Wirto Schaeffer, ao recepcionar aos convidados.

Para o responsável técnico pelo projeto, André Monsores, o intercâmbio turístico depende da solidificação do grupo de trabalho. “O turismo é uma força transformadora. O intercâmbio entre os visitantes da Serra Catarinense e as cidades do Sul através da Rota dos Jesuítas é uma das maneiras mais rápidas e baratas para o fomento do setor, principalmente para aquelas cidades que ainda não despertaram para o turismo, mas que possuem grande potencial. Para consolidarmos a criação da Rota dos Jesuítas é preciso compor uma equipe de trabalho engajada e integrada e que aplique as melhores práticas indicadas pelo Ministério do Turismo para que seu crescimento seja perene. É preciso que a rota promova transformações socioeconômicas e contribua para o desenvolvimento e o bem-estar social das cidades que a compõe”.

O prefeito de Siderópolis, Helio Cesa, o Alemão, aponta a rota turística como uma grande sacada para interligar as nossas cidades. “A nossa região é rica turisticamente com duas Serras e todo o potencial do Sul, de Siderópolis, Treviso, Nova Veneza, Forquilhinha com as suas belezas naturais e potencial turístico. Agora precisamos consolidar esse movimento para efetivamente implantar a rota”, pontuou.

“Nós precisamos criar mecanismos para divulgar os nossos municípios. E com essa rota vamos criar um novo caminho passando por vários municípios do Sul e Serra que contam com inúmeros atrativos turísticos. Aqui em cima da Serra temos o maior e melhor potencial turístico e precisamos aproveitar para ampliar para as outras cidades. Nova Veneza criou a Festa da Gastronomia, implantou o Carnevale di Venezia, mas precisa de outras cidades para que o turista permaneça por mais tempo em nossa região”, relatou o prefeito de Nova Veneza, Rogério Frigo.

Os passos da implantação

Ainda na reunião o técnico, Monsores, apontou os dez principais passos para implantação da rota que são: identificar os atores turísticos; analisar o mercado e definição de segmentos, identificar os possíveis impactos socioculturais e econômicos; levantamento das ações necessárias para a implementação do roteiro turístico, fixação de preços a serem cobrados e teste do roteiro; qualificação dos serviços turísticos, promoção e comercialização e monitoria e avaliação. Ele acrescenta que é essencial que se faça um Planejamento Estratégico e um Plano de Marketing visando identificar o cliente em potencial e lhe oferecer um produto de grande valor comercial. “O que a Rota dos Jesuítas tem para oferecer é único no turismo brasileiro. Precisamos saber comunicar isso e converter vendas”, finalizou.

Topo
NOSSAS NOTÍCIAS NO SEU E-MAIL
Receba uma vez por dia no seu e-mail, as notícias do Portal Veneza
Suas informações nunca serão compartilhadas com terceiros.