– O livro Os Homens que não Amavam as Mulheres, de Stieg Larsson, é marcante. A história começa com a narrativa da queda de um jornalista experiente e ético, quando ele é condenado por difamar um homem influente ao publicar uma reportagem que o denunciava.

– Sem saber o que fazer depois da condenação, o jornalista Mikael Blomkvist aceita o desafio de desvendar o mistério da morte de Harriet Vanger, que desapareceu há cerca de 40 anos e seu corpo nunca foi encontrado. O tio da garota contrata o jornalista e este enigma se torna a razão de viver de Mikael, já que ele tem que cumprir sua pena para recomeçar sua carreira.

– A trama é tensa, o jornalista vai conhecendo membros da família Vanger e qualquer um deles pode ser o assassino ou a assassina. A lista é longa.

– Com a ajuda da jovem hacker Lisbeth Salander, Mikael consegue informações que fazem toda a diferença em sua pesquisa e no meio do caminho percebe que o desaparecimento de Harriet é só mais um detalhe em meio a tantos outros absurdos que aconteceram e continuam a acontecer na família Vanger.

– O abuso de mulheres, absurdos cometidos, assassinatos planejados, tudo isso e muito mais estão descritos nas páginas deste livro.

– Lisbeth é uma personagem fora da trama principal, mas sua história é bem construída e não menos interessante. É uma garota astuta que busca sobreviver sozinha, cria suas próprias regras em uma sociedade onde ela é rejeitada.

– Todo o mistério de Harriet Vanger é desvendado de forma interessante, porém, até chegar ao desfecho o autor confunde propositalmente o leitor em vários momentos, instigando ainda mais a curiosidade.

– Esclarecendo um a um todos os mistérios que aborda em sua trama, provavelmente vai proporcionar um turbilhão de emoções em quem decidir encarar esta leitura marcante.

Os Homens que não Amavam as Mulheres, de Stieg Larsson – 522 páginas.