Por quantos dias,
Coisas se foram,
Sem saber que tinha valor?

Quantos dias,
Toda alegria que pertencia a alguém,
Se desfez,
Sem sobrar coisa qualquer?

Quanto tempo ainda vai,
Para descobrir,
Que coisas,
São diferentes de sentimentos,
De pessoas,
Da razão que insiste,
Mas no final,
Não tem tanta razão assim?