Hoje vamos conhecer um pouco sobre a vida do saudoso engenheiro Ayrton Brandão que empresta seu nome a nova passarela sobre o rio Mãe Luzia, o mais novo cartão postal de Nova Veneza, situada entre as localidades de: Mãe Luzia (Criciúma) e Jardim Florença (Nova Veneza).

Ayrton Egídio Mattos Brandão nasceu no dia primeiro de setembro de 1925 no município de Santa Leopoldina no estado de Espírito Santo. Filho de Agapito De Almeida Brandão e Aurora Mattos Brandão. Seu pai era funcionário federal, exercia o cargo fiscal de imposto de consumo percorrendo e residindo em vários estados e municípios.

A família mudou para o sul quando Ayrton tinha apenas dez anos, residiu nas cidades gauchas de: Porto Alegre, Santa Maria, Rio Grande e Pelotas. Ayrton se formou engenheiro civil em 1951 na Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Em 1952 conheceu a bela jovem estudante de direito, Genésia Savi Minatto natural da localidade de Mãe Luzia. Em pouco espaço de tempo eles passaram a namorar. No dia 2 de maio de 1954 quando Nova Veneza ainda era distrito de Criciúma. Ayrton casou-se com Genésia Minatto e veio morar em Criciúma. Pai de quatro filhos: Ricardo, Cynthia, Patrícia e Ingrid que lhe deram mais seis netos.

Posteriormente adquiriu uma grande propriedade na localidade Vila Florença. Ayrton sempre foi um homem a frente do seu tempo, fundador de várias empresas, desenvolveu inúmeras técnicas do segmento da construção civil, inclusive recebeu a homenagem nacional “Láurea ao Mérito Nacional 2015”.

Em 1960, na sua propriedade na Vila Florença abriu a Granja Aurora que produzia leite, queijo e manteiga, tendo um dos melhores plantéis de gado leiteiro da raça holandesa, com procriação de sêmens importados dos melhores rebanhos canadenses e americanos, que eram os seus preferidos, recebendo vários títulos e prêmios nacionais.

Em 1989 a Granja Aurora muda de atividade e se transforma em Haras Aurora com reprodução exclusiva da famosa raça de cavalos Manga Larga Machador, o Haras Aurora é referencia nacional da raça, hoje administrado pelo filho Ricardo Brandão. O nome “Aurora” é uma homenagem a sua saudosa Mãe.

Marcado pela ética, honestidade, simplicidade e muito trabalho, Ayrton e sua família com muita discrição sempre foram parceiros colaboradores de projetos sociais e culturais em Nova Veneza. Seu Ayrton Egídio Mattos Brandão faleceu em Criciúma no dia 30 de agosto de 2013. “Brao, bei esenpi!!!”

VENÈSIA PAR BELUN, BELUN PAR VENÈSIA

Na manhã de hoje será inaugurada oficialmente a pavimentação asfaltica entre Nova Veneza e Siderópolis via São Martinho Alto. Este acesso é do princípio da fundação da “Colonia Nuova Venezia”.

Alem da melhor acessibilidade, a rodovia já trouxe benefícios, graças à pavimentação da mesma, Nova Veneza ganhou cartório de registros de imóveis que compreende também os municípios de Sireropolis e Treviso. No registro, o prefeito Rogério Frigo e o secretário de obras Carlos Tarcisio Mathias. “Ades si va a Belun, o si a Venèsia sensa sporcar i pie!!!”

PAN & VIN NOVO DIRETIVO


Dois engenheiros agrônomos assumem a presidência da Confraria Neoveneziana Pan & Vin para gestão 2020. Emerson Crippa é o presidente e Paulo Roberto Da Costa Nunes é seu vice. Reuniões ordinárias regionais, estaduais e internacionais é pauta principal dos novos gestores da entidade mais enogastronomica da capital mundial da Polenta.  “No basta ber no basta magnar, te toca saver te toca inparar!!!”

40 ANI DEL  BISTEK

Por indicação do vereador Carlos Eduardo “Dado” Ghislandi  a câmera de vereadores de Nova Veneza fez Moção de Aplausos a rede neoveneziana Bistek de supermercados.

A justa homenagem pela passagem dos quarenta anos do Bistek foi recebida pela nova geração de herdeiros gestores da rede: Fagner Ghislandi, Felipe Ghislandi e João Paulo Ghislindi. “Meritato!!!”

BELA TOZATONA


Simpaticíssima Juliana Zanoni tem a marca feminina da beleza neovenziana. “Bela, altro che bela!!!”

BRAO FIOL DELA NOSTRA TERA

O neoveneziano Waldir Rampinelli, residente em Florianópolis, recebeu na última quinta-feira, o prêmio da Academia Catarinense de Letras pelo livro “O menino que vê o mundo – confidências sobre os imigrantes italianos”. Dois neovenezianos se fizeram presentes, o ilustre escritor Celestino Sachet, membro da ACL e Valnir Nuernberg prestigiando o amigo escritor.  “Conplimenti tozaton!!!”