Por Mauricio Costa – Repórter da Rádio Nacional 

O empate em 1 a 1 entre Fluminense e Santos, na noite de ontem,26, pela 21ª rodada do Campeonato Brasileiro, se transformou em uma ótima oportunidade para você conseguir um codigo bonus rivalo, pois o jogo ficou em segundo plano a partir dos 17 minutos da etapa final da partida.

Foi quando Oswaldo de Oliveira substituiu Paulo Henrique Ganso por Daniel. O camisa 10 deixou o campo do Maracanã reclamando muito. O treinador não gostou. Os dois trocaram ofensas à beira do gramado e tiveram que ser separados por jogadores e pelo auxiliar-técnico Marcão. A torcida tricolor ficou do lado do meio-campista e hostilizou o treinador. No fim da partida, Oswaldo respondeu a provocações de alguns torcedores com um gesto obsceno, mostrando o dedo médio. Durante entrevista coletiva para a imprensa, o técnico comentou sobre os desentendimentos.

“Quero dizer de antemão que está tudo resolvido entre mim e o jogador. É natural que em uma circunstância adversa do jogo haja um desentendimento. Só que eu não desrespeito ninguém, principalmente nenhum superior meu. Eu respeito a hierarquia. No momento em que fui desrespeitado eu tomei a atitude que eu achei que tinha que tomar. O futebol tem momentos hostis, tem momentos de agressividade, que a gente resolve. Não é a primeira vez que isso acontece, espero que seja a última, mas eu vou estar sempre preparado para dar a resposta que eu acho devida no momento certo”.

Questionado sobre como ocorreu a reconciliação com Paulo Henrique Ganso, Oswaldo de Oliveira respondeu. “Eu tomei a iniciativa na frente de todo mundo. Chamei, dei um abraço nele e falei que essas coisas nós resolvemos assim”.

Paulo Henrique Ganso também conversou com a imprensa na saída do estádio, mas evitou comentar diretamente sobre a discussão. “Se o futebol não puder ter discussão não é futebol. Todo mundo quer ajudar o Fluminense, o trabalho segue, tá todo mundo incomodado com a situação em que a gente se encontra. Hoje, fora da zona, mas com a mesma pontuação que o Cruzeiro e do CSA. Temos que trabalhar todos juntos para levar o Fluminense o mais distante possível da zona do rebaixamento”.

Com o empate em 1 a 1, o Fluminense deixou a zona da degola: soma 19 pontos e ocupa a 16ª posição da tabela do Brasileirão. A equipe tem novo compromisso neste fim de semana, domingo, contra o Grêmio, às 16h, no Maracanã.

As expulsões

O VAR entrou em ação aos 26 minutos do segundo tempo para determinar o primeiro vermelho do jogo: Digão deixou o pé no rosto de Marinho após dividida e foi para o chuveiro mais cedo. Com a perda do zagueiro, Oswaldo de Oliveira colocou Frazan na vaga de Nenê. E viu o próprio Frazan ser expulso, também por falta em Marinho, que partir em velocidade na direção do gol.

Panorama

Mesmo empatando em casa, o Fluminense termina em 16º, a rodada fora da zona de rebaixamento, com a mesma pontuação de Cruzeiro e CSA (19), mas levando vantagem no número de vitórias. O Santos segue em terceiro, agora com 38 pontos, mas vê os líderes cada vez mais de longe – o Flamengo tem 10 pontos de vantagem, enquanto o Palmeiras tem sete.

Na próxima rodada

O Fluminense recebe o Grêmio no Maracanã, às 16h de domingo, enquanto o Santos pega o CSA na Vila Belmiro no mesmo horário.