Esporte

Nova Veneza recebe atletas para o Fodaxman Extreme Triathlon

Por Francine Ferreira

Competição reúne seleto grupo de triatletas neste sábado, 15, com 3.8 km de natação, 180 km de ciclismo e 42 km de corrida em um percurso repleto de desafios.

O fim de semana da região será focado no mundo esportivo, com a realização do Fodaxman Extreme Triathlon neste sábado, 15. A competição reunirá um seleto grupo de triatletas, que participarão de provas de natação, ciclismo e corrida. Neste cenário, Nova Veneza está sendo bastante procurada para receber esses atletas.

Conforme a proprietária da Operadora de Turismo Roteiros do Sul, Franciele Zuchinali, existem reservas de hospedagens já feitas há seis meses. “Ainda tem muito atleta ligando, para ficar de dois a três dias na cidade, por conta da competição. Pessoas do Brasil inteiro, de estados como Pará, São Paulo, Rio de Janeiro, Rio Grande do Sul, aqui de Santa Catarina e do Mato Grosso”, exemplifica.

Em sua maioria, são atletas de alto rendimento que chegam ao município para participar do Fodaxman, com suas famílias e equipes técnicas. “Inicialmente a prova não seria aqui, mas conseguimos trazer para cá. A equipe da comissão organizadora ficou sabendo da barragem, entrou em contato, chegou aqui e convencemos a trazer para Nova Veneza”, ressalta Franciele.

Nesta sexta-feira, 14, o simpósio técnico que antecede a prova será realizado em Nova Veneza.

O Fodaxman Extreme Triathlon

Completar um Ironman não é uma tarefa fácil! São 3.8 km de natação, 180 km de ciclismo e 42 km corrida, tudo em um curto período de tempo, que exige muita preparação e disposição dos triatletas. Agora some a isso 4.900 metros de altimetria acumulada durante as três disciplinas, inclinações de 23% de elevação e temperaturas que variam de 05Cº a 35Cº, tudo no mesmo dia. Esse é o desafio do Fodaxman Extreme Triathlon.

Considerado um dos triathlons mais desafiadores do mundo, o Fodaxman surgiu durante o treinamento de um grupo de quatro triatletas que pedalavam entre Lauro Muller e Urubici. “Nós sonhávamos como seria realizar a primeira prova de triathlon extremo das Américas. A ideia foi tomando forma e o primeiro passo foi definir um percurso viável que passasse pela Serra do Rio do Rastro e tivesse as distâncias aproximadas de uma prova full distance”, explica Fernanda Palhares, um dos organizadores do evento ao lado de Rafael Pina, Felipe Manente e Fabrício Abido.

Após descobrirem uma lagoa para o trajeto de natação o percurso de ciclismo até Urubici ficou viável, com exatos 180 km e sem a necessidade de um único retorno. Definido o trajeto os organizadores passaram a elaborar as regras da competição, que ocorreu pela primeira vez em 2017.

“Queríamos resgatar o verdadeiro espírito do triathlon, tão esquecido nas competições atuais. A satisfação em terminar deveria ser maior que o tempo de prova, o desafio em superar nossos próprios limites deveria ser mais importante do que a colocação, os demais atletas seriam nossos companheiros de jornada ao invés de adversários, a imponência da natureza sentida na dificuldade do percurso nos ensinaria a sermos mais humildes”, avalia Fernando Palhares.

O percurso

Mantendo as distâncias de um Ironman, o Fodaxman Extreme Triathlon é a primeira prova com características de triathlon extremo das Américas. A natação neste ano será na Barragem São Bento e a chegada é em Urubici, a 1.818 metros acima do nível do mar.

A natação inicia-se no escuro, às 5h, com orientação luminosa e wetsuit liberado. Após os 3.8 km de natação, os triatletas iniciam os 180 km de ciclismo que conta com 3.650 metros de altimetria e passa pela bela e desafiadora Serra do Rio do Rastro. Fechado o pedal é hora de encarar a maratona. Pela frente são 42 km com 1.250 metros de altimetria e a chegada no topo do Morro da Igreja (a Pedra Furada fica ao lado e é vista da chegada).

Topo