Infoway cabeçalho
Colunistas

Nino: a revelação do ano no Criciúma

eduardo-madeira

Do mesmo celeiro de onde surgiram Róger Guedes, Marlon e Ezequiel, vem agora uma opção de peso na zaga do Criciúma: Marcílio Florêncio Mota Filho, ou simplesmente Nino.

Na base do Tigre desde 2014, o recifense, que acumulou ainda passagens pelo Sport e Mogi Mirim no período de formação, vem se notabilizando como a principal revelação do clube em 2016. Firme nas disputas defensivas e mostrando sempre boa técnica, o zagueiro de apenas 20 anos se tornou peça de segurança no sistema defensivo criciumense.

Mas, como diz aquele velho ditado, “Deus escreve certo por linhas tortas”, e Nino só ganhou sequência no time titular com a lesão de Raphael Silva. O defensor titular desde o ano passado sofreu sério problema muscular, que o tirou dos gramados há mais de dois meses, fazendo com que o garoto formado na Toca do Tigre crescesse.

Já são 18 jogos na Série B, 16 como titular, e apenas dois cartões recebidos: um vermelho, na segunda rodada (em um lance que, honestamente, nem vi falta), e um amarelo apenas no último fim de semana.

Rovaris Auto Center
Ferragens Milanez
Farmácia Gorini
Fabio Bratti Engenharia

Mais do que isso, Nino tem mostrado muita maturidade para um zagueiro tão jovem. Se o calejado Edson Borges parece sempre bater cabeça com o improvisado Diego Giaretta, que invariavelmente deixa grandes brechas na lateral-esquerda, o garoto pernambucano tem se entendido bem com os colegas da direita, seja Diogo Mateus (que costuma atuar mais por dentro) ou Maicon Silva (que procura mais o fundo).

Para um zagueiro de 1,88cm e com porte físico avantajado, Nino tem se mostrado bastante ágil e atento no posicionamento. Evidente que há sempre o que melhorar, especialmente por falarmos de um atleta de apenas 20 anos de idade. O senso de cobertura ainda não é dos mais eficientes, por exemplo.

Em contrapartida, penso que ele tem muito a evoluir com Raphael Silva ao lado. Na Série B, jogaram juntos apenas no empate sem gols diante do Luverdense e na derrota pelo placar mínimo para o Juventude, ainda no primeiro turno. Há alguns jogos esporádicos onde atuaram por poucos minutos e pouco significativos.

Raphael possui mais recursos técnicos e tende a acrescentar mais ao jogo de Nino do que o lento Edson Borges. Aliás, parece bem claro que hoje, da dupla de zaga, Nino é quem está em melhor condições. Na volta do carequinha Raphael Silva, quem deve perder espaço é Edson Borges. O momento é de mais uma cria carvoeira.


Pilar final pauta
Sky Grande
Spilere Serralheria G
Topo