Por João Manoel Neto

Quando começou a andar de moto há seis anos atrás, talvez nem ele mesmo imaginasse que estaria alguns anos depois participando de um campeonato profissional.

Advogado de profissão, o neoveneziano Flávio Ghislandi Cúnico, de 28 anos de idade, estreia neste final de semana no Campeonato Sul Brasileiro de Motovelocidade. A primeira etapa acontece no sábado, 30, e domingo, 31, no autódromo internacional de Velopark, na cidade de Nova Santa Rita, no Rio Grande do Sul.

“Comecei a andar de moto com uma 250 cilindradas. Peguei o jeito, gostei, e assim que tive oportunidade comprei uma moto maior, uma Suzuki de 700 cilindradas. Tempos depois estava com uma Honda de 1000 cilindradas e hoje tenho também uma moto de passeio”, relembra Cúnico.

Ele começou a pilotar na pista há dois anos, quando fez curso intensivo de pilotagem para adquirir habilidade e técnica na prática. Hoje, o piloto de Nova Veneza tem uma moto BMW 1000 cilindradas, 199cv e 204 quilos, e com ela vai competir as sete etapas do Sul Brasileiro.

“Corri diversas vezes na pista, mas sempre de forma amadora. Agora vamos competir com pilotos altamente preparados técnica, psicológica e fisicamente, além da vasta experiência. A expectativa é ser bem qualificado e trazer premiações para Nova Veneza a cada etapa”, detalha.

Estarão na disputa do Campeonato Sul Brasileiro mais de 70 pilotos de Santa Catarina, Paraná, Rio Grande do Sul e da Argentina. Ao todo, são sete etapas distribuídas nos três estados do sul do Brasil e também no Uruguai.
“Nossa equipe FT (Família TrackDay) tem cinco pilotos que vão participar do evento.

No time de apoio teremos mais dois componentes de Nova Veneza. O mecânico chefe da equipe, Gilmar Gava (Cará Motos), e o assistente de assuntos gerais, Anderson Mazzuco. É um esporte que exige precisão, não pode haver erros, podendo chegar a mais de 300km/h dentro do autódromo”, conta Cúnico.