Colunistas

Natal hoje e sempre

Os dias, as semanas, os meses passam e quando percebemos já estamos em dezembro e com dezembro chega o Natal e Ano Novo. Nesta época do ano sentimentos de amor, de compaixão, de caridade ficam mais evidentes nas pessoas. A gente quer presentear, visitar parentes e amigos e acima de tudo praticar boa ação.

Mas será que é somente no Natal  que as pessoas precisam da nossa solidariedade? Não, com certeza.

Nem sempre a necessidade é de alimento, de agasalho, de calçados, mas pode ser de um gesto simples e mesmo assim fazer grande diferença para quem recebe.

Num bate papo descontraído após um almoço, com amigos, começamos a conversar sobre gestos e ações que nos marcaram. Comecei contando que um casal me chamou na “cerca” e pediram meu celular emprestado, precisavam fazer  uma ligação e o celular deles estava sem bateria. Eu emprestei sem titubear, não me passou na cabeça que poderiam ir embora levando meu celular sem que eu pudesse fazer nada, pois eu estava dentro do cercado e eles de carro. Confiei e graças a Deus foram honestos.

Contei ainda que uma vez fui a uma festa e errei o endereço do prédio. Percebendo o engano tentei ligar para alguém, mas estava sem bateria. Não tive outra saída a não ser pedir socorro para um dos moradores do prédio para que me deixasse fazer uma ligação. Não só permitiram como também me fizeram companhia até que fosse resgatada.

Agora vocês não imaginam o que aconteceu com outra colega. Contou ela que numa viagem para Porto Alegre, ao parar no pedágio percebeu que não tinha dinheiro suficiente para pagar o valor exigido. Não aceitaram cartão e nem o dólar que tinha como amuleto na carteira. O funcionário queria que ela voltasse e providenciasse o dinheiro. Ah, ela não quis atrasar sua viagem, sabem o que fez? Desceu do seu carro e foi até o carro que estava atrás e pediu o dinheiro que faltava. O motorista achou engraçado, riu e prontamente lhe deu a quantia necessária. Imaginem a cena!

Um fato interessante também aconteceu com o esposo desta mesma jovem. Contou ela que seu esposo foi abordado por um rapaz de moto que estava precisando de gasolina e  não tinha dinheiro. Ele foi até o posto de combustível mais próximo e trouxe a gasolina  para que o rapaz pudesse seguir viagem.

Como podem ver nem tudo está perdido, ainda existe gente boa, honesta, caridosa e que ajuda o próximo mesmo sem medir as consequências.

Devemos cultivar sentimentos nobres o ano inteiro, ajudar as pessoas sem esperar recompensas, como diz o ditado “o que uma mão dá a outra não precisa ficar sabendo.”

Seja mais amigo que juiz neste Natal, doe amor e compreensão todos os dias do ano novo, beije e abrace quem está perto de você, seja e faça seu próximo feliz.

Feliz e Santo Natal a todos vocês que estiveram comigo este ano de 2016 e que o ano novo traga muita paz, saúde, amor, fé esperança a todos nós.

Maria Margarete Olimpio Ugioni

 

Topo
NOSSAS NOTÍCIAS NO SEU E-MAIL
Receba uma vez por dia no seu e-mail, as notícias do Portal Veneza
Suas informações nunca serão compartilhadas com terceiros.