Há muito que se escrever sobre Miguel Napoli, o primeiro Diretor da Colônia de Nova Veneza, representando a empresa norte-americana “Angelo Fiorita & Cia” e, posteriormente, até setembro de 1899, a “Companhia Metropolitana”. Sabemos que era um empresário italiano, nascido em Palermo, capital da Sicília, em 13/4/1854 e radicado nos Estados Unidos. Filho de Luigia Pirandello e de Filipo Napoli, “completou estudos em ciências naturais, matemática, topografia, desenho para construções e ornamentos, além de ter obtido o certificado que o habilitava para exercer arquitetura e agrimensura.

Com vinte anos, foi nomeado subtenente da infantaria italiana pelo Rei Vittorio Emanuele II”. Nosso historiador Zulmar H. Bortolotto, dedica-lhe dois capítulos da importante publicação “História de Nova Veneza”, editada em 1992, e o considera “a figura principal da criação da Colônia Nova Veneza”. Foi amigo particular dos governadores Hercílio Luz e Lauro Müller. Ao implantar a Colônia de Nova Veneza, em 1891, fundou, simultaneamente, três municípios: Nova Veneza (sede da Colônia), Nova Beluno (hoje Siderópolis) e Treviso.

Em 28/01/1899, casou-se, em Nova Veneza, com Ottilia Sauer, de 24 anos. Tiveram seis filhos nascidos em Nova Veneza. “Além de colonizador , foi jornalista e escritor”. Faleceu, no Rio de Janeiro, em 05/9/1926, onde está sepultado. “Luigi Napoli, diretor geral do Crédito Agrário Siciliano, esteve em Nova Veneza em 1893, então visitando o irmão no Brasil”.

Luigi Pirandello, reconhecido dramaturgo, novelista e escritor, nasceu, igualmente, na Sicília, na localidade de Girgenti, hoje Agrigento, em 28/6/1867. Faleceu em Roma, no dia 10/12/1936. Era filho de Caterina Ricci-Gramitto e de Stefano Pirandello. Em 1934, lhe foi outorgado o Prêmio Nobel de Literatura, por sua “renovación audaz y brillante del drama y el escenario”. Seu pai, rico comerciante, era seguidor de Garibaldi.

Há que se desvendar, também, o grau de parentesco entre Luigi Pirandello e o nosso fundador, Miguel Napoli. Pelo conjunto de suas obras, são duas personalidades que merecem a admiração de todos nós.

Ademar Arcângelo Cirimbelli

Em 28 de janeiro de 1899, às 9 horas da manhã, na sede da Colônia Nova Veneza, mais precisamente na casa de Domenico Fontanella, Miguel Napoli, então com 44 anos, casou-se com Ottília Saüer, de 24 anos. Ela era de origem alemã, nascida na Rússia, filha de Francisco Saüer e de Ana Müller. Foram testemunhas do casamento, Alfredo Pessi e Alessandro Maglia. (História de Nova Veneza - Zulmar Bortolotto) Foto: Arquivo Nicola Gava
Miguel Napoli (centro) e sua família. Miguel Napoli e Ottília Saüer tiveram seis filhos, nascidos em Nova Veneza: Luiz Filipo, Arnaldo, Luiza, Leonidas e Manfredo, pela ordem de idade. Muitos dos seus descendentes ainda moram na região sul do Estado de Santa Catarina. Foto: Arquivo Nicola Gava
O drama de caráter existencialista também tem suas origens na obra de Pirandello. A sua obra influenciou autores como Jean-Paul Sartre, Samuel Beckett, Eugène Ionesco, Jean Genet, Eugene O’Neill e continua, até hoje, como uma obra instigante e fonte de reflexão sobre o fazer dramatúrgico.