A escritora Lucinda Riley, autora do romance A Rosa da Meia-Noite, surpreende até na última página ao contar a história da indiana Anahita Chavan que viveu mais de 100 anos e durante quase 80 anos teve certeza que seu filho perdido estava vivo. Em seu aniversário de 100 anos ela chama seu bisneto Ari, entrega o manuscrito de sua história de vida e pede a ele que encontre aquele menino que foi deixado no passado, mas ele não dá atenção ao tesouro que tem em suas mãos.

Dez anos depois Ari se encontra perdido no rumo que sua vida tomou e lembra-se do pedido de sua bisavó. Só então ele começa a ler o que Anahita viveu e parte para a Inglaterra em busca da verdade. A chegar em Astbury Hall, um local onde marcou a vida de Anahita, Ari se vê em meio a gravação de um filme de época, no auge da aristocracia britânica dos anos de 1920, que tem como protagonista a atriz Rebecca Bradley e no período que passa a história de sua bisavó que ele está lendo.

É neste ponto que o presente e o passado se misturam. Rebecca também vive uma crise pessoal e se refugia em Astbury Hall, conhece Ari e começa a ler a história de Anahita. Impossível não se envolver e entre os inúmeros quartos da mansão degradada, Rebecca encontra um diário de Donald Astbury, que é a prova que o que Anahita escreveu é verdade.

A indiana Anahita, quando adolescente, recebe o dom de curar e pressentir alguns acontecimentos. Ainda criança, com 11 anos, fica amiga da princesa Indira e sua vida muda completamente, mesmo sabendo o seu lugar vive entre palácios, impérios e estudos e quando vê já está estudando na Inglaterra. Nesse país de cultura tão diferente do que estava acostumada, conhece o preconceito, a discriminação, o amor, a dor, a esperança, o sofrimento. Anahita Chavan, princesa Indira, Donald Astbury, Violet, Maud Astbury, Lord Anthony, Rebecca Bradley, Ari Malik e vários outros personagens vão fazer você se emocionar com esta narrativa.

A luta de alguns personagens em manter as aparências a qualquer custo, a busca pela felicidade acreditando no amor, a certeza de que pode fazer o bem e tentar praticá-lo apenas por bondade, a influência do dinheiro e do status em uma sociedade, a diferença de culturas, tudo isso e muito mais pode ser encontrado nessa história envolvente. No final do livro Ari descobre porque foi o escolhido por sua bisavó para buscar a verdade e Rebecca decide viver sua vida sem se preocupar com a repercussão de seus atos na imprensa.

A Rosa da Meia-Noite, de Lucinda Riley – 575 páginas.