Cada vez mais frequente, o uso indiscriminado de psicotrópicos reguladores do sono está aumentando, e você já parou para pensar o porquê deste fenômeno?

O uso de qualquer medicação deve ser avaliada e administrada a partir da recomendação de um profissional qualificado. De forma bastante frequente, pessoas relatam ter dificuldade de dormir, insônia e/ou perturbações do sono, o que leva muitos cidadãos buscarem o auxílio medicamentoso.

E você, como tem sido o seu sono?

A função do sono é a de repouso – físico e mental. Dentre seus aspectos, ele auxilia no processo de memorização das informações obtidas durante o dia, relaxa o corpo fisicamente, e auxilia no reestabelecimento de energias do corpo. Sabe aquela frase que diz que quem não dorme direito, não tem um bom dia? Justamente porque o sono atua como uma espécie de “reset” nas atividades cerebrais.

Mas e a insônia, onde entra?

A insônia é classificada como um transtorno do sono – sendo cada vez mais comum. Geralmente está associado a vários fatores (emocionais e orgânicos) que contribuem para o surgimento do quadro sintomático.

Sendo classificada como um transtorno do sono, geralmente a insônia possui alguns sintomas, como:

  •  Dificuldade para adormecer;
  • Dificuldade de manter-se dormindo;
  • Acordar e com a sensação de que não dormiu;
  • Sonolência excessiva durante o dia;
  • Alterações de humor.
  • Entre outros.

Obviamente cada caso deve ser avaliado de forma individual por profissionais qualificados, observando a frequência e a constância desses sintomas. Quando o indivíduo está acometido pelo quadro sintomático e isso lhe causa prejuízos na sua vida social, o tratamento normalmente ocorre por meio de intervenções da psiquiatria e psicologia.

Quais são os prejuízos de quem sofre com insônia?

Podem aparecer dificuldades de memorização, alterações de humor, cansaço excessivo durante o dia, dificuldade de concentração, entre outros prejuízos que podem comprometer o desempenho profissional do indivíduo.

“Acho que estou com insônia, o que devo fazer?”

Em primeiro lugar: consulte um médico psiquiatra para que ele possa avaliar seu caso de forma individual e completa. Se for, de fato, um caso de insônia, ele(a) irá lhe encaminhar o melhor tratamento para o seu caso. Geralmente acoplado ao tratamento medicamentoso, encaminha-se ao profissional de psicologia a fim de investigar as questões emocionais que estão envoltas da patologia.

Mas o que as emoções tem a ver com a insônia?

É bastante comum a insônia (e outros distúrbios do sono) surgir após uma patologia de ordem psicológica, como por exemplo a ansiedade. Quando a ansiedade torna-se insustentável, há o aparecimento de pensamentos intrusivos e sintomas de ordem física de forma bastante acelerada: o que contribui para que o sono vá embora rapidinho.

Em quadros depressivos geralmente os sujeitos dormem bastante, porém, em alguns casos, a tristeza torna-se insustentável ao ponto de não permitir que o sujeito descanse, como uma espécie de autopunição. Além de ansiedade e depressão, temos tantos outros quadros patológicos que geralmente estão associados aos quadros de insônia e perturbação do sono.

Dicas para dormir melhor:

Obviamente essas dicas não resolverão os problemas de quem possui insônia, mas podem amenizar e auxiliar quem está no início dos sintomas. Isso não substitui a consulta a profissionais capacitados, ok?

  • Prepare o ambiente em que você vai dormir: apague as luzes, evite estímulos visuais com luz azul (como o celular e a televisão, por exemplo);
  • Tome um banho relaxante antes de deitar-se;

  • Tenha uma rotina: programe-se para ir dormir no mesmo horário todos os dias (horários próximos);

  • Entenda que: os problemas que não foram resolvidos hoje, serão amanhã. E se não forem amanhã, serão resolvidos posteriormente. Ficar acordado não vai ajudar.

  • É importante desconectar-se: do trabalho, dos problemas e do outro. Conecte-se consigo mesmo(a);

  • Preste a atenção na sua respiração: é uma maneira breve de conectar-se consigo mesmo (a).

Contudo, tanto a insônia, quanto outras patologias devem ser olhadas com sua devida seriedade. Caso você perceba que está com sintomas, não hesite em buscar profissionais de psiquiatria e psicologia para verificar o que está ocasionando a insônia e buscar o melhor tratamento. Não deixe de cuidar de você!

E se precisar conversar, fico à disposição.

Abraço fraterno!

Participe conosco! Envie suas dúvidas ou sugestões para o e-mail gihh_b@hotmail.com Fico à disposição também no Instagram: @psicologagiovanacbaroni