Kalana, Farmácia Gorini e Veneza
Colunistas

Gôndola mortuária. Parte 1

Infoway cabeçalho

Alguns anos atrás, a cidade nunca esteve tão silenciosa, apesar de nunca ter sido o que se pode chamar de “movimentada”. Contudo, sempre era possível ver alguém caminhando nas ruas durante a noite, em busca de um bom vinho ou até mesmo a trás de um delicioso prato de comida típica italiana. Nos bares, encontravam-se homens ao redor de uma mesa gritando enquanto jogavam cartas e bebiam rum de boa qualidade.

Nos finais de semana, a praça lotava de turistas à procura de música boa, comida excelente, bebida e diversão. Porém, devido a alguns acontecimentos macabros, a cidade chegou a um ponto que já não se via mais isso. Antes do cair da noite, todo o comércio da região se fechava, as pessoas corriam para comprar alimentos e se trancarem em casa. Os turistas, que antes coloriam as ruas, estavam passando bem longe do lugar.

A cidade, sempre tão enfeitada com calçadas e ruas impecáveis, jardins com flores brilhantes que exalavam aroma por toda a praça; agora estava em ruínas. Percebia-se isso logo no portal de entrada do lugar, que antes exibia um grande boneco colorido – símbolo cultural da cidade –, agora estava em estado deplorável. Um de seus braços estava caído e a cabeça ficava do outro lado da estrada olhando para quem chegasse.

Quando tudo começou.

Cia da Saúde
Dolomiti Caravaggio
Móveis Mondardo
Amboni Refrigeração
Nossa Loja
Farmácia Gorini

A ideia de trazer uma gôndola até a localidade foi com o intuito de parecer ainda mais uma cidade italiana, e funcionou muito bem, pois turistas de todos os lugares vinham bater foto com o monumento. Até atraiu vários programas de televisão importantes para o lugar, que, de quebra, trouxe mais turistas à região.

Contudo, o que o prefeito e o secretario do turismo não imaginavam era que a mesma gôndola que fez a cidade ser muito povoada e bonita faria com que ela se tornasse uma cidade fantasma. A primeira notícia que abalou muito toda a região vizinha de Nova Veneza veio de um jornal renomado de Criciúma. A nota dizia:

MOEDAS QUE ESTAVAM NO LAGO DA GÔNDOLA SOMEM E APARECEM NA CASA DE QUEM AS JOGOU.

Nesta quarta feira, dia 23, o guarda do lugar percebeu pela manhã que as moedas que as pessoas jogaram no lago da gôndola e fizeram pedidos tinham sumido. O mais assustador de tudo é que algumas moedas apareceram atiradas embaixo da porta da casa de seus respectivos donos.

Os últimos turistas, que foram até a famosa praça de Nova Veneza, foram só para olhar de perto o lago já quase sem moedas; apenas a gôndola que boiava, enquanto soltava ringidos, agora assustadores. Detetives e peritos procuraram gravações de câmeras espalhadas por toda praça, buscando uma resposta. Porém, tudo que viram foi a
gôndola balançando durante toda a noite.

O primeiro morador que foi até a polícia levando uma moeda foi seu Braga, um senhor já viúvo, que jogou a moeda pedindo para que a esposa se recuperasse de um câncer, mas não foi atendido. Quando a polícia perguntou como ele sabia que aquela moeda era a que ele jogou no lago, ele tinha uma boa explicação.

– Bom! Eu nunca me esqueceria dela, pois foi a moeda que joguei quando minha esposa estava para morrer. Lembro-me como se fosse hoje. Ele respira fundo para não derramar lágrimas e, após isso, continua. – Não era uma moeda comum. Ganhei-a de meu falecido pai antes de ele partir, então eu pensei “Vou jogar minha melhor moeda para fazer o pedido mais importante”.

A polícia acreditou em seu Braga, mas eles tinham que levar em conta que ele já era bem velhinho e poderia estar se confundindo. Após fazerem análises, constatou-se que a moeda havia ficado ao menos, três anos submersa em água. Foram à casa de seu Braga e viram que havia uma mancha de água no chão próximo à porta em que a moeda estava quando ele a encontrou. Isso causou arrepio nos policiais.

Depois de a polícia procurar o prefeito da cidade e contar tudo que sabia, o mesmo, muito inteligente, teve a ideia de mandar bilhetes para todas as famílias da região por meio dos alunos de toda a cidade, afim de não causar alarme nas pessoas. No bilhete dizia:

Olá, senhores pais e/ou responsáveis. Viemos por meio deste comunicado informar que estão acontecendo atos de vandalismo no nosso tão lindo lago da gôndola. Alguém está roubando as moedas do lado e deixando nas casas. Gostaríamos de saber se apareceu alguma moeda jogada por debaixo da porta na sua casa na noite passada. Se sim, por favor, procurar a delegacia para que possamos pegar estes marginais.

Atenciosamente, a Direção.

No outro dia pela manhã havia fila na delegacia.

De Ávila
Contabilidade KLZ
Ilumigesso
Team Bressan

Coopera rodapé
Topo