Por Eliana Maria Maccari

Ação reunirá descendentes no dia 10 de novembro, em Cocal do Sul.  

A imigração italiana no Sul de Santa Catarina no final do século XIX perpetua-se através das décadas por meio da manutenção da descendência, tradições e costumes. Osvaldo e Pietro Maccari foram irmãos que construíram suas vidas nesta região a partir de 1879. A chegada marcante na véspera de Natal, após dias de viagem em navio, espera na casa do imigrante e caminhada até a colônia Urussanga, completa 140 anos este ano.

Para celebrar a data, descendentes organizam o 1º Encontro da Família Maccari. A ação pretende reunir pessoas de diferentes Estados no dia 10 de novembro, na cidade de Cocal do Sul, no Centro de Eventos do bairro Jardim Itália. A celebração da missa na igreja Nossa Senhora Aparecida, ao lado do Centro de Eventos, acontecerá às 9h30min e será animada pelo Grupo Va Pensiero.

Em seguida, o almoço festivo contará com comida típica italiana: macarrão, risoto de frango, costelinha suína, galinha ensopada, fortaia e saladas, além do tombo da polenta gigante feito pelo grupo Amici della Polenta, de Urussanga, e atrações musicais e brincadeiras.

Na ocasião, familiares de diversas gerações irão compartilhar momentos de alegria e emoção. Os ingressos para acesso ao 1º Encontro da Família Maccari estão sendo comercializados em pontos de venda da região: Posto BR (Urussanga), Lima e Maccari Veículos (Cocal do Sul) e Farmácia Bem Estar (Morro da Fumaça).

Descendentes de outros Estados podem adquirir pelo site.

A HISTÓRIA DA FAMÍLIA

A família Maccari que chegou ao Brasil em 1879 era composta pelo patriarca e viúvo Innocente acompanhado dos filhos Osvaldo e Pietro e suas respectivas esposas e alguns dos filhos. Com muita garra e bravura, eles adquiriram suas terras em Urussanga, no Sul de Santa Catarina, na esperança de construir uma nova vida. Documentos comprovam a compra dos terrenos em 1892.

Osvaldo era casado com Augusta Dalla Cia e tiveram os filhos Orsola, Innocente, Augusto, Giuseppe, Pietro, Giovanni Battista e Agostino (gêmeos), Luigi e Vittorio. Já o irmão Pietro era marido de Antonia Zanella e constituíram família com a chegada dos herdeiros Giuseppe, Carmelo, Antonio, Angelo e Luigi. A maioria dos descendentes reside atualmente em cidades de Santa Catarina, Paraná e Rio Grande do Sul.