Por Geórgia Gava

Não há dúvidas que os exercícios físicos fazem bem à saúde. Durante o período de gestação não é diferente. É ideal que cada mulher saiba suas limitações, mas que não deixe de lado o contato com atividades que tragam bem-estar em conjunto com uma alimentação saudável e uma gravidez mais ativa.

Segundo a sócia proprietária da Pulsare Fitness, personal trainer e gestante, Luciane Topanotti Moretto, os exercícios físicos podem ser iniciados em qualquer fase da gestação desde que o médico autorize e tenha um acompanhamento de um profissional de educação física, além disso, podem ajudar a diminuir o estresse e ansiedade e assim, aumentar a autoestima. “Nós da academia Pulsare fitness recomendamos a prática se a gestante for sedentária após o primeiro trimestre de gestação, para evitar complicações, mas se a gestante for ativa e já prática alguma modalidade recomendamos não parar, só verificamos qual modalidade vai se encaixar melhor para ela nessa fase. Sempre cuidando da intensidade e volume de treino e nada que cause impacto para a gestante evitando assim lesões, quedas e complicações”, afirma.

Os exercícios na gestação causam inúmeros benefícios e ainda podem facilitar no trabalho de parto normal e o retorno ao seu peso ideal após a gestação. “Os exercícios mais indicados para gestante são caminhadas, pilates, yoga, hidroginástica, musculação, dança, mas é recomendado sempre procurar um profissional qualificado da área da educação física”, ressalta Luciane.

De acordo com a clínica geral, Dr. Cristiane Lopes Coral, as mulheres podem ser classificadas como sedentárias e ativas durante este período. “A mulher sedentária, durante a gravidez pode fazer caminhas leves, principalmente no primeiro trimestre, que é quando corre o maior risco de abortamento. E nós orientamos nos três últimos meses de gravidez, principalmente no último mês, que mulher deve fazer caminhadas diárias de até 30 minutos”, enfatiza.

Em ambas as classificações, as gestantes devem ter cautela. É necessário que haja um acompanhamento médico para avaliar cada caso e quais as atividades mais indicadas para cada gestante. Ainda conforme a médica, é comprovado que as atividades físicas melhoram muito a abordagem em relação ao peso, as dores de coluna, o estresse, depressão acarretada pela gravidez e a autonomia durante o trabalho de parto. “É fundamental, por que percebemos que a mulher mais ativa tem um trabalho de parto com mais facilidade, lembrando que não é regra, mas claro, cada gestante deve ser avaliada pelo seu médico antes de iniciar uma atividade física, existem contraindicações absolutas”, finaliza Cristiane.