Carlos Cypriano João Colunistas

Eu Bombeiro

blank

Foi quando cai na real

Colocando as coisas dentro do carro pra curtir o final de semana na lagoa, escutei o alarme geral soar. Parei, e olhando pra frente do quartel aguardei. Quando vi o trem do socorro entrando na Dolário dos Santos, para mais uma ocorrência! Saiu primeiro a caixinha de ouro, mais conhecido como ASU/ambulância, atrás o AR – Auto Resgate, e logo o ABTR – Auto Bomba Tanque Resgate. Com faróis ligados, sirenes abertas e as penteadeiras/giroflex piscando direto, lá foram eles …. pensei comigo, que vontade de ir junto, afinal eu nunca, nunca mesmo, havia perdido uma “corrida” … Ai  foi quando “cai na real”, estou na reserva!!

Carreto insólito

Quase todo domingo de madrugada sempre por volta das 3 horas da matina, havia ­­uma rapaziada que acionava os Bombeiros em frente a igreja da 4º Linha, para atender uma pessoa caída em mal súbito. Era observado o atendimento pré-hospitalar/aph e conduzido ao hospital público no centro de Criciúma.

Os amigos dele/vítima pediam pra vir junto, isso ocorria sempre, até que um dia o pessoal do hospital nos informara que aquele grupo inclusive a suposta vítima, abandonava o ambiente desferindo impropérios cômicos a todos. Gostaram dos impropérios né!?

A verdade era que os rapazes moravam num bairro perto do hospital e sempre pegavam um carreto com os Bombeiros. Não deu outra, no domingo seguinte na saída da danceteria, eles estavam lá, esperando … Efetuado o aph no jovem, e levado para dentro da ambulância, convidamos seus “amigos” para seguirem junto com a gente. Eles, sorridentes e falantes no interior do ASU … quando a central informa que o pronto socorro do hospital em Criciúma estava retendo macas, e nós num raciocínio lógico, rapidamente conduzimos à vitima e seus amiguinhos para o hospital de Içara … Viu? Deu tudo certo!!

blank

Passarinhos

Com a chegada do rádio de comunicação no quartel dos Bombeiros, as guarnições de forma clara não estavam familiarizadas com estes aparelhos. Foram passadas instruções de como deviam usar os códigos, e num momento relax os Bombeiros Antônio e João começaram um bate papo via rádio, desta forma:

— Pavão pesqueiro é canário cantador;

— Prossiga canário cantador, pavão pesqueiro na escuta.

— Pavão pesqueiro QTA no QTC (nada a dizer).

Foi quando o chefe do socorro entra na frequência e chama os dois:

— Pavão pesqueiro e canário cantador é o chefe do socorro;

— QRV (na escuta chefe)

— Quando voltarem ao quartel tem uma gaiola esperando por vocês dois …

Eu sou Carlos Cypriano, especialista em Emergência Pré-Hospitalar e Segurança Contra Incêndio e Pânico.

Contato: carloscypriano1@gmail.
Palestras: (48) 99172-9433

Todos os dias as notícias do
Portal Veneza no seu e-mail

Leia nossa política de privacidade para mais detalhes.