Toda oração busca,
Um conforto na solidão,
Na incerteza de não saber,
Qual realidade amanhã se encontrará,
A luta entre pensamento e razão,
Que dia a dia,
Fala tantas coisas,
Que pouca coisa por fim se compreende!

Todo pedido,
Parece concretizar um ser,
Aquele que por vezes crê,
E por hora ateu se torna,
Na incongruência, entre querer e querer,
Se debater na concretude,
De algo pitoresco aos olhos!

Toda oração,
E atentem,
Que não falo de religião,
Busca sentido para vida!
Para aquilo que é desconhecido,
Ou mesmo despercebido,
Entre o mundo material,
E a imaginação,
Que leva ao ideal,
Pai da frustração!