Empreendedores do mercado imobiliário veem em Nova Veneza uma oportunidade de crescimento e valorização. A tendência é investir em grandes condomínios fechados rurais no município, contando com uma infraestrutura ousada, inovadora e buscando qualidade de vida dos habitantes. O prefeito Rogério Frigo esteve reunido com representantes do setor que apresentaram um projeto com alternativas de loteamento que até então não eram comuns no município.

Para viabilizar um projeto desse porte, um do sócio-proprietário do condomínio José Antônio Petri afirma que as características de colonização, da vegetação, do relevo e as belezas naturais e pesquisa de mercado levaram a concentrar o foco em num projeto inovador. “Será o primeiro condomínio fechado rural em Nova Veneza com toda a infraestrutura de lazer que a via gastronômica pede, pois vai contar com uma área comercial para explorar a potencialidade no local. O empreendimento terá todo o cabeamento subterrâneo e um tipo de pavimentação diferenciada, outros atrativos como baia de cavalos, horta coletiva, costelódromo e vários itens que não tem em outros condomínios da região”, comenta Petri.

O empreendedor acrescenta que condomínio será destinado a famílias que buscam uma área em metragem quadrada maior, além de lago, playground e outros benefícios aproveitando também a via gastronômica.  Serão 43 unidades, cada lote terá uma media de 1 mil hectares, em uma área na comunidade de São José. Após os trâmites burocráticos como zoneamento alterado e projetos aprovados e, principalmente, todas as licenças ambientais prontas os empreendedores irão começar a execução do projeto. A estimativa de obra é de 12 a 18 meses. E a comercialização poderá começar após a liberação da licença ambiental.

O prefeito Rogério Frigo destacou satisfação pela qualidade do empreendimento a ser implantado futuramente no município. “Conhecemos hoje esse projeto inovador e dentro das exigências do Poder Público estamos incentivando a sua implantação. Estou satisfeito e agradeço por escolherem Nova Veneza. O projeto trará uma qualidade de vida e segurança aos que optarem por viver no condomínio”, pontuou.

Cris Freitas