Por Willians Biehl

A procura desenfreada por álcool gel e álcool líquido 70%, em razão da pandemia de coronavírus (Covid-19), fez o estoque do produto baixar e rapidamente sumir das prateleiras dos supermercados e farmácias. Em Nova Veneza e região muitos comerciantes até conseguem adquirir algumas unidades do produto, mas precisam se deslocar até um distribuidor e agora comprar pelo dobro do preço praticado semanas antes.

Apesar da eficiência do álcool para desinfetar rapidamente as mãos, tão eficiente quanto e muito mais barato é lavar as mãos com água e sabão constantemente, além disso, esta ação embora pareça banal, protege a saúde humana de praticamente todos os agentes patogênicos.

De acordo com o infectologista João Prats em entrevista ao canal Viva Bem, o álcool gel com concentração de 70% e a água com sabão são as melhores formas de higienizar as mãos e evitar a contaminação. “Ambos os métodos são efetivos para quebrar a cápsula de gordura protetora do vírus e destruí-lo”, explica o especialista.

Secar também é importante

Contudo, após lavar as mãos é importante secá-las, o gesto é fundamental para que a limpeza seja realmente eficaz. Secar as mãos envolve o atrito, o que reduz ainda mais a carga microbiana e evitando sua propagação. A secagem com toalhas de papel são ideias para a função, por serem descartáveis, evitam o risco de transferência de microrganismos como em uma toalha de tecido. Se as toalhas descartáveis não forem uma opção, a troca da toalha de tecido deve ser constante.

Com quais produtos limpar objetos e superfícies?

Para limpar locais frequentados por várias pessoas, os desinfetantes comuns, ou até mesmo a água com sabão ou detergente também são suficientes.