Kalana, Farmácia Gorini e Veneza
infraestrutura

Conheça as transposições por túneis na duplicação da BR-101 Sul

Cuidados ao viajar durante a noite durante o feriado, na BR-101 SulSC (1)

No conjunto de obras de arte especiais (OAEs) para a expansão da capacidade rodoviária da BR-101 Sul, as transposições de maciços rochosos por túneis construídos garantem a trafegabilidade dos veículos, encurtam distâncias e mantêm encostas e ecossistemas preservados. Quatro galerias estão concluídas e liberadas – duas no trecho catarinense e outras duas no trecho gaúcho, e outras duas estão projetadas para o Morro dos Cavalos, em Palhoça (SC).

A construção dos túneis é o trabalho construtivo mais demorado, pois depende da logística de obras – comum em todos os tipos de empreendimentos rodoviários, mas também das condições geológicas da rocha encontrada. Maciços mais duros são mais estáveis e com maior produtividade na escavação. Já as rochas mais maleáveis são mais trabalhosas para a escavação. No geral, as galerias escavadas na BR-101 são de rochas com dureza média.

Veneza Multimarcas
Sintiacr
Hotel Bormon
Bel Mercearia

Nas três transposições construídas na duplicação – Morro Agudo (km 257, Paulo Lopes, SC), Morro do Formigão (km 337,8, Tubarão, SC) e Morro Alto (km 67,2, Maquiné, RS) foram escavadas utilizando-se o processo de remover as rochas com detonação de explosivos. Nesse sistema, furos são feitos na rocha, preenchidos com explosivo plástico e detonados, removendo de um a três metros (aprox.) de parede rochosa, cada serviço de explosão. Os restos são retirados, a frente de obras é limpa e inicia-se nova perfuração para que outra detonação seja feita. Todo material resultante das escavações foram destinados para bota-fora ou usados em taludes, como no trecho gaúcho, pois a dureza das pedras não possibilitava o uso na construção.

Das quatro galerias – dispostas em três transposições, as maiores são as construídas no Morro Alto, com 1.841 metros de extensão. É, também, a única a ter galerias para abrigar os dois sentidos de tráfego. Morro Agudo, com 1.014 metros de extensão e Morro do Formigão, com 530 metros escavados, recebem somente o tráfego no sentido Norte-Sul. Morro Alto foi o primeiro dos túneis a ser liberado ao tráfego de veículos, em dezembro de 2010, Morro Agudo em maio de 2012 e Morro do Formigão em julho de 2015.

As galerias receberam vários itens de segurança, do pavimento, com as pistas recobertas com concreto usinado ao invés do asfalto CBUQ, potencialmente inflamável à iluminação, com sistema elétrico inteligente para calibrar a diferença entre a iluminação externa diurna e noturna. Além disso, os túneis têm outros sistemas de segurança. O opacímetro, instrumento utilizado para a medição da quantidade de material particulado da fumaça emitida por motores, sistema de monitoramento por câmeras internas e externas monitora todo o circuito de tráfego, hidrantes, ventiladores de exaustão, passarela, sinalização e comunicação (telefonia interna) para emergências completam o sistema de segurança das transposições.

Velocidade e segurança – Nas transposições por túneis, os veículos somente poderão trafegar a 80 km/h, sendo o limite imposto para transporte leve ou pesado. Com a redução de velocidade dentro das galerias, reduzem as chances de acidentes por colisão traseira. Passando as galerias, o motorista volta a ser limitado pelo tamanho do veículo e pela sinalização vertical instalada na rodovia federal – isto é, 100 km/ e 80 km/h no trecho do RS e 110 km/h e 90 km/h no trecho de SC. Além das transposições de maciços rochosos através de galerias escavadas, há outros segmentos onde o limite de velocidade é reduzido. Os postos da Polícia Rodoviária Federal e as travessias urbanas no trecho gaúcho também seguem com velocidade menor que a de longo curso.

O DNIT/SC recomenda que os pedestres e ciclistas, profissionais ou praticantes amadores do esporte, evitem o trânsito dentro de túneis. Caso o faça, é obrigatório o uso da passagem construída, fora do traçado de pista. Isso porque a movimentação direta pelo fluxo da BR-101, dentro da passagem, expõem motoristas e os próprios ciclistas ao risco de acidentes. Em circulação dentro do túnel, é proibida a parada para fotos, observação dos veículos ou da obra.

No feriado desta quinta-feira, 12, melhorias na BR-101 Sul/SC serão reduzidas

O Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (DNIT/SC) vai reduzir os trabalhos de melhorias na BR-101 Sul catarinense durante o feriado em celebração da padroeira do país, Nossa Senhora Aparecida, nesta quinta-feira, 12. Com o aumento na quantidade de veículos em longo curso, além da previsão de tempo instável, a autarquia suspende as atividades sobre as pistas duplicadas, para dar segurança aos motoristas e aos trabalhadores, retomando todas as frentes na sexta-feira (13). Serviços de roçada e limpeza nos sistemas de drenagem também serão executados no sábado (14).

A autarquia mantém frentes de melhorias sobre o pavimento da rodovia federal entre os municípios catarinenses de Paulo Lopes a Passo de Torres, na divisa com o Rio Grande do Sul. Durante o feriado, equipes de plantão vão dar assistência para eventuais problemas na plataforma da rodovia e vias laterais. Quando as equipes retornarem aos trabalhos, será preciso redobrar os cuidados ao avistar estreitamentos de faixas indicadas pela sinalização provisória: nesse espaço, há trabalhadores e equipamentos em movimentação.

Chuva para os próximos dias – A previsão do tempo para os próximos dias, disponibilizada pela Empresa de Pesquisa Agropecuária e Extensão Rural de Santa Catarina (Epagri, Florianópolis) e pela Climaterra (Urubici) aponta chuva na região da BR-101 Sul entre Paulo Lopes a Passo de Torres.

Em dias chuvosos, a visibilidade do motorista é reduzida, seja pela ação do clima seja pela água lançada ao para-brisas pelos outros veículos. Sem a manutenção da distância de segurança, aumenta a possibilidade de colisões traseiras, em caso de redução de velocidade ou parada brusca do veículo que segue na frente. O código não apresenta metragem especifica para distanciamento entre os usuários em tráfego, porém, a recomendação é que a separação deve ser de, no mínimo, 20 metros.

Para aumentar a segurança, é recomendado aos motoristas manter os faróis baixos acessos, pois além de melhorar a visibilidade das faixas de rolagem, possibilita que outros usuários possam visualizar o veículo. Para os motociclistas, o capacete é o principal equipamento de proteção individual para os condutores de motocicleta. Durante a condução, a viseira deve permanecer fechada. Na utilização de capacetes que não possuem viseira, é obrigatório o uso de óculos fixados ao capacete para proteção dos olhos. Outro item de segurança importante no capacete é a faixa refletiva, para que o condutor seja visto à distância durante a noite.

As orientações feitas são para a garantia de uma viagem segura durante o feriado e final de semana prolongado, devendo ser seguidas durante os demais dias do ano, para evitar acidentes sobre as pistas e também nas vias laterais.  Para mais informações dos avanços de obras e trabalhos remanescentes, os usuários da BR-101 Sul têm o Serviço de Atendimento direto pelo telefone 0800 6030 101 ou pelos links úteis no site 101sul.com.br.

Cuidados ao viajar durante a noite durante o feriado, na BR-101 Sul/SC

O Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (DNIT/SC) orienta os usuários da BR-101 Sul/SC que redobrem a atenção ao trafegar durante a noite e madrugada, durante o feriado de Nossa Senhora Aparecida e final de semana próximo. Com a duplicação das pistas concluídas, o cuidado agora se refere aos limites de velocidade e a ocorrência de chuva sobre o pavimento. Um descuido ou negligência do motorista, nestas condições, são fatores determinantes para causar graves acidentes.

Dentre as recomendações feitas pela autarquia, o descanso do motorista é fundamental para garantir a segurança da viagem. Paradas para descanso e alimentação são fundamentais, porém, precisam ser em locais adequados. Parada no acostamento somente em caso de emergência, sendo os postos de combustíveis ou os postos da Polícia Rodoviária Federal (PRF) em Paulo Lopes, Tubarão, Araranguá, Torres e Osório, os dois últimos no segmento gaúcho da duplicação.

Outra indicação feita é quanto à manutenção do veículo. Além da manutenção veicular, os limites de velocidade devem ser respeitados, para uma viagem segura. Para trechos duplicados em lotes liberados, a velocidade limite para veículos de pequeno porte é de 110 km/h, com limite de 90 km/h para transportadores de carga e passageiros. Em trechos de pista simples ou segmentos duplicados onde não sinalização vertical indicando o novo limite, a velocidade continua em 80 km/h para todos os veículos.

Ao trafegar em tempo chuvoso é feito o alerta para a redução de velocidade. Mesmo em chuva fraca, forma-se sobre o pavimento camada d’água. Por isso, a redução da velocidade de tráfego e o distanciamento do veículo da frente são necessários.

Problemas com o veículo – Quando o veículo apresentar pane sinalize o local com o triângulo-refletivo, numa distância de 50 metros do local. Procure ajuda rapidamente e proteja-se do tráfego da rodovia. Após sinalizar, o motorista deve entrar em contato com a PRF ou uma empresa de guinchos, para realizar a retirada do veículo, oferecendo mais segurança aos usuários da rodovia.

Antes de seguir pela BR-101 Sul durante a noite, é recomendado checar as partes mecânicas e elétricas dos veículos. Itens de segurança como extintores de incêndio, triângulos-refletivos e faróis devem ser revisados antes de qualquer viagem. Os itens de segurança fazem a diferença na hora de evitar acidentes.

Verificar o funcionamento dos faróis é essencial, providenciando o correto alinhamento das luzes. O desalinhamento do foco dos faróis dos veículos é uma constante na rodovia, atrapalhando a visualização da pista pelo motorista que vem em sentido contrário.

Muriel Ricardo Albonico







Topo