Por Marli Vitali

Lançamento de livro e de documentário abre as comemorações da ordem religiosa Seis décadas de muito trabalho e conquistas. A Congregação Rogacionista se reúne neste fim de semana para celebrar os 60 anos a implantação do Colégio e Seminário Rogacionista Pio XII em Criciúma. Em 19 de julho de 1959, os religiosos e a comunidade católica da região comemoravam a abertura do Seminário. Sua importância se dá pelo fato de ser o primeiro construído no Brasil e também fora da Itália, onde a Ordem havia sido fundada por Santo Aníbal Mª Di Frância.

“É um momento de agradecer, de lembrar quem passou por aqui – e foram tantos -, celebrar a vida da instituição e, principalmente, a valorização da vocação proposta por Santo Aníbal, acolher, educar e evangelizar”, destaca o padre Maike Grapiglia, diretor do Colégio. Os primeiros religiosos a chegar em Criciúma foram os padres Mário Labarbuta e Paulo Petruzzellis, além do irmão Rosário Caravello e do irmão Antonio Lanza.

Na sexta-feira, dia 19, as comemorações iniciam com o lançamento do livro “Semeando o Rogate em terras catarinenses”, de autoria do ex-seminarista Altamiro Domingos Dagostim, que realizou um trabalho de pesquisa extenso, unindo entrevistas, recortes de jornais e fotografias antigas. Junto com a publicação, também será apresentado o documentário “60 anos da presença Rogacionista em Criciúma”, produção do jornalista Nei Manique. Os eventos iniciam às 19h30 no teatro ao lado do Bairro da Juventude, o antigo Cine Itália.

No sábado, 20, as atividades iniciam às 17h. “Teremos uma missa de ação de graças, presidida pelo bispo auxiliar de Brasília, dom Leonardo Steiner, que é natural de Forquilhinha”, informa padre Maike. Em seguida, haverá a abertura da quermesse, com apresentações culturais e barracas. Os eventos são abertos à comunidade.