Imagine você não conseguir entender as pessoas ou ter dificuldade para conversar com seus entes queridos. Ao perceber, as festas foram trocadas pelo canto mais tranquilo de sua casa, um restaurante já não é mais um passeio prazeroso.

Essa é a realidade de muitos idosos que sofrem com perda auditiva. Cerca de 25% das pessoas entre 65 a 74 anos têm perda auditiva significativa e, para aqueles com 75 anos ou mais, o número aumenta para 50%.

Estudos apontam que menos de uma em cada três pessoas com mais de 70 anos de idade que precisam de aparelhos auditivos fazem uso do mesmo.

À medida que envelhecemos, o nosso sistema auditivo sofre alterações degenerativas, ocasionando a diminuição auditiva. Esse processo é denominado “presbiacusia”. Outros fatores que podem danificar nossa audição ao longo da vida são: exposição a ruídos altos, genética e alguns medicamentos.

Entretanto, o impacto emocional no idoso com perda auditiva é enorme. A dificuldade em escutar pode levar a outros problemas que incluem uma depressão, solidão, raiva, declínio cognitivo, saúde debilitada e diminuição da segurança pessoal.

Os fatores emocionais abrangidos são uma parte do problema, já que a perda auditiva faz aumentar a percepção de que uma pessoa idosa é “lenta” ou que não é capaz de realizar algo, o que geralmente não é o caso. Essa percepção negativa dos outros por sua vez leva a uma queda da autoestima, frustração e até depressão.

Outro problema enfrentado pelas pessoas idosas com perda auditiva é que, culturalmente, a perda auditiva é muitas vezes descartada como apenas uma parte normal do envelhecimento. Então, muitos acabam não tratando e aqueles que percebem a perda auditiva levam em média 10 anos para procurar ajuda.

A perda auditiva não tratada afeta todos os aspectos da vida dos idosos, do bem-estar físico à saúde emocional e às relações familiares. Felizmente, com a tecnologia cada vez mais avançada dos aparelhos auditivos, os idosos podem se beneficiar do valor dos recursos dos seus aparelhos auditivos, devolvendo a eles a qualidade de vida.

Se perceber qualquer dificuldade no entendimento, não espere para procurar ajuda, você pode estar perdendo tempo de ter uma vida mais feliz.