Não poderei!
Talvez amanhã!
Segunda já vem,
E mais uma vez,
Se desfez em meus olhos!

A razão!
Tudo que penso,
Mais uma vez,
Transforma-se na poesia!
A breve alegria,
Que se desfaz em versos,
No reverso,
Que hoje,
Contam histórias inacabadas!

Mais um olhar!
Um eterno sonhar!
Da desrazão!
A frustração que fala tantas coisas,
E se perde na imaginação!
Concreto vilão,
Da história mal contada!

Mais um dia!
A breve alegria retorna!
Esquece de falar,
De deixar a mente esvaziar,
E no material,
Fazer historias verdadeiras!

Mais um dia!
Mais um dia!
Mais um dia!
E a vida se vai!
Não se refaz!
Na estrada sem volta,
Da vida!