Saúde

Autoestima e saúde mental devem ser preocupações das mulheres no ano novo

blank

Depois de um 2020 cheio de desafios, o novo ano chega como uma esperança de tempos melhores. E é, de fato, uma oportunidade de renovação. No entanto, 2021 ainda terá reflexos do último ano, especialmente no que se refere aos cuidados e restrições impostas pela pandemia da Covid-19.

E, nesse cenário, um público específico merece atenção redobrada: as mulheres. Um estudo realizado pela ONG Kaiser Family Foundation nos Estados Unidos descobriu que as mulheres foram as mais afetadas emocionalmente desde o início da pandemia.

O medo, a incerteza e a insegurança aliadas a mudanças bruscas de rotina são explicações para esse abalo. Afinal, no ano passado, as mulheres precisaram lidar com uma sobrecarga ainda maior do que a usual com trabalho e escola remotos, aumento das tarefas domésticas, crises financeiras, entre tantos outros obstáculos.

Com isso, muitas deixaram de lado a própria saúde, o que teve reflexo na autoestima e na saúde mental. Agora, em 2021, ainda que os desafios não tenham acabado, é hora de colocar alguns fatores nos eixos.

Autocuidado

Joana Dias, editora de saúde feminina no UniversoDelas, lembra que, com as vacinas se aproximando, esse é o momento ideal, e urgente, para que as mulheres voltem a cuidar de si.

“Buscar novos prazeres, dar mais atenção à alimentação e tirar um tempo para si mesma são ações que devem estar no topo da lista das prioridades de 2021. O autocuidado também envolve investir em roupas e acessórios do seu gosto e cuidar da pele e do cabelo”, diz Joana.

A especialista acrescenta que é interessante aproveitar a nova moda de cursos e aulas on-line para se dedicar a uma atividade física ou a uma prática de meditação. Afinal, corpo e mente caminham juntos.

Por fim, vale traçar metas que possam ser cumpridos a curto, médio e longo prazos, sem que a ansiedade aumente. Ao concluí-las, a sensação de bem-estar vai compensar a dedicação.

Pedir ajuda

O risco de negligenciar esse autocuidado é abrir portas para que doenças surjam como a depressão, a ansiedade e outros transtornos psiquiátricos.

Por isso, os especialistas alertam que ao notar sinais como tristeza intensa, falta de motivação, insônia, palpitações, preocupação constante e alteração no apetite e humor, é importante procurar ajuda médica para manter a saúde mental.

Outra dica é manter contato com pessoas próximas, para evitar o isolamento, e determinar uma rotina organizada dentro de casa, na qual o marido e os filhos se envolvam nas atividades e tarefas do dia a dia. Pedir ajuda e não carregar todas as responsabilidades sozinha deve ser a principal meta das mulheres em 2021.

Todos os dias as notícias do
Portal Veneza no seu e-mail

Leia nossa política de privacidade para mais detalhes.