Eu tinha comprado uma mochila de ataque e estava louco para fazer um Hiking para fazer alguns testes, pois, para a semana seguinte, estava planejado subir o temido Pico Paraná. Então já serviria de teste para o equipamento e para meu físico.

Sai de Criciúma por volta de 7h00 da manhã e cheguei a barragem do Rio São Bento, que seria o ponto de partida as 7h40, pois parei para abastecer o carro.

Quando cheguei, o dia estava lindo, não era o dia perfeito para uma trilha pelo fato da previsão ser de muito calor e realmente foi.

Últimos ajustes feitos, comecei  a caminhada de em média 5,5 KM em direção a Pedra do Castelo/ Pedra da Tartaruga. Logo de cara, já peguei um aclive de uns 30 graus que já assustou um pouco, pois já sai respirando ofegante no primeiro morro. Mas isso não é frequente no caminho, pois também havia vários declives e estrada plana, algo que torna a trilha mais agradável. Quanto ao caminho, é uma estrada de terra bem aberta na qual é possível ir uns 4km de carro 4×4.

O trajeto inteiro contorna a Barragem pelo lado direito e isso possibilita um visual sensacional em alguns pontos. Devido a muitas árvores no caminho, é possível caminhar uns 40% da trilha na sombra, o que me ajudou muito. Depois  de andar 2,5 KM com o mesmo cenário, cheguei a uma ponte onde me possibilitou pegar água potável.

Depois deste ponto, a trilha fica mais  fechada e íngreme, de até 40 grauS, mas que ainda tem acesso de carro. Andei mais 1,5 KM e cheguei no local onde eu saí da estrada que leva a gruta da serrinha que é outro lugar muito bonito. Andei mais 500 metros e parei em outro ponto de água potável, enchi a garrafa e continuei em meio a mata mais fechada até o momento que vira apenas um carreiro bem fechado.

Importante frisar que neste local é bom estar com manga comprida pelo fato dos galhos irem arranhando o braço, além de perneiras, pois é muito propício a cobra, e um bastão de caminhada ou um pedaço de pau para ajudar a caminhar e limpar as teias de aranhas. Faltando 1 km para o final da trilha, me deparei com um caminho íngreme de pedras que são muito escorregadias e precisei tomar muito cuidado para não ter uma queda. Após isso, já é possível avistar a Pedra  do Castelo, que contornei por baixo à esquerda e fiz um pequena e tranquila escalada até o topo.

Lá de cima, o visual é muito lindo, pois, à direita, tem os paredões de pedras e, à esquerda, a imensidão de água da barragem. Tirei meu fogareiro e logo fiz um café e ovo mexido,  naquele visual, tomei um belo café da manhã, escutava apenas o cantar dos pássaros e a brisa no rosto.

Cheguei por volta de 8h30, na pedra, fazia sombra, mas logo o sol veio vindo e esquentando a pedra, então peguei meu poncho e improvisei  uma espécie de tenda, usando cordas e algumas técnicas para então ficar cozinhando na sombra. Fiquei perto de 2 horas lá em cima e desci. Chegando no carro por volta de 12h.

Dicas que dou para quem quer fazer a trilha ir bem cedinho, para pegar mais tempo de sombra na pedra, levar uma garrafa de água com autonomia de, no mínimo, um litro e não ir em dia de chuva ou se choveu um dia antes, pois as pedras são muito escorregadias.

Trilha da Pedra do Castelo

11 KM ida e volta

5h horas totais

340 M ganho de elevação