De todas as pedras,
Que até ontem pensei carregar,
Descobri que várias delas,
Não me pertenciam,
Ou simplesmente,
Pensava me pertencer!

De todo peso do mundo,
Várias vezes pensei ser absurdo,
Tentar mais coisas carregar,
E não poder perceber,
Que aquilo tudo não era meu!

E por mais dias,
Toda monotonia,
Que ainda ontem experimentei,
Tornou-se apenas ilusão,
De um mundo,
Que se mostrou ser diferente!