Santo Agostinho, em um dos seus escritos, disse:”Fizeste-nos, Senhor, para Ti, e nosso coração anda inquieto enquanto não descansar em Ti” (Livro das Confissões). Para Agostinho a verdadeira felicidade não consistia nos bens materiais ou pessoas, que com o passar do tempo perecem, mas sim no Criador, que é eterno.

Para Agostinho, a felicidade verdadeira está em Deus, nosso criador. Entretanto, os homens buscam a felicidade em diversos lugares, pessoas ou coisas, mas não a encontram. Deste modo, tornam-se cada vez mais insatisfeitas, inconstantes e vazias.

Deus está sempre de braços abertos esperando por alguém que o abrace e encontre a verdadeira felicidade, que está nEle e em seu único Filho: Jesus.
Nem todos tiveram o privilégio de ser verdadeiramente felizes aqui na Terra. Muitos partiram sem conhecer a verdadeira felicidade. Abrace essa oportunidade ainda hoje!

Corroborando com as palavras de Agostinho, no início deste texto: enquanto o nosso coração não estiver cheio da presença de Deus, iremos nos inquietar constantemente e não teremos descanso em nossa alma. O próprio Cristo disse: “Tomai sobre vós o meu jugo e aprendei de mim, que sou manso e humilde de coração; e encontrareis descanso para vossas almas” (MT 11.29). O Mestre também afirmou: “Eu vim para que tenham vida e a tenham com abundância” (João 10.10b). Eis aí o verdadeiro sentido de viver e a verdadeira felicidade transbordante!

Não esqueça: a verdadeira felicidade depende das nossas atitudes e a atitude primordial é dar um passo em direção a Deus (todos os dias)! Caso contrário, nossa alegria será momentânea, passageira e fictícia.
Você é feliz?